Ei, não faça mais isso! Porque você nasceu de novo

“Jesus respondeu e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus” (João 3.3).

Quem deseja um dia ir para o céu e reinar com Cristo para todo o sempre deve atentar piamente para esta realidade do novo nascimento. Todos nós praticamos inúmeras coisas que achamos não ter importância nenhuma com nossa conduta cristã, porém, o Espírito Santo, constantemente, está nos alertando para não fazermos mais isso ou aquilo, porque Ele habita num templo puro e santificado. O nascimento natural de uma criança ocorre no fim de um processo, não adianta nascer antes, há um tempo determinado. O nascimento com a vida dar direitos e isso é uma verdade. Com o novo nascimento o homem alcança a vida eterna, passa a fazer parte da família de Deus, e também ser chamado de filho e, consequentemente, torna-se herdeiro e co-herdeiro com Cristo, participando da natureza do Senhor Jesus Cristo e de tudo que há no céu. Para o homem nascer de novo é preciso que ele creia em Cristo e na obra expiatória do calvário. Exerça a sua fé nEle e nEle viva a cada dia. O nascido de novo cuida de sua vida com sabedoria, sempre atentando para a vigilância e a observância da Palavra de Deus. Quem é nascido de novo, não faz mais isso e nem aquilo!

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook