“Porventura há ainda semente no celeiro? Todavia, a videira, a figueira, a romeira e a oliveira não têm dado os seus frutos, mas desde este dia vos abençoarei” (Ageu 2.19).

Tenho acompanhado pela mídia a situação do nosso povo, de nossa gente. Se deixarmos de lado o entretenimento e cairmos na real, perceberemos que ela é caótica e está de mal a pior. Há muita gente sofrendo na área da saúde, por falta de segurança, desemprego e por ai vai. O “consolo”, como muitos pensam estar por vir: A COPA do Mundo. É bom que cada um abra bem os seus olhos, pois esse evento futebolístico não resolverá os problemas dos trabalhadores de nosso país, nem solucionará os problemas que hoje são enfrentados pelas famílias pobres. Quando as delegações partirem para os seus países, é tomaremos conhecimento do tamanho do rombo, dos problemas a serem administrados. A passagem em lide revela a situação triste e preocupante do povo de Israel nos dias do profeta Ageu. Não havia mais sementes no celeiro e as árvores frutíferas que podiam ajudar na economia do povo, a videira, a figueira, a romeira e a oliveira não davam mais frutos, situação muito triste. Como colher em tempo de seca? É quase impossível, porém, Deus é o Deus do impossível, é o Deus do milagre, basta tão somente ter fé nEle. Parafraseando o texto: “A partir de hoje, Eu o Senhor, estarei abençoando a todo o meu povo. Sei que os celeiros já não têm mais sementes armazenadas e que as principais árvores frutíferas, responsáveis pela economia e a sobrevivência de meu povo não têm produzido os seus frutos regularmente e em quantidade suficiente para o consumo diário”. A promessa de Deus é que Ele abençoará aqueles que a Ele forem fiéis, mesmo na luta, na dificuldade não negarem o Seu nome. É hora de colhermos em tempo de dificuldades. Não abandone o manancial de águas vivas, Cristo. Creia no Senhor e no mais Ele tudo fará. Amém!