Um grande incêndio no arraial

”E aconteceu que, queixando-se o povo, era mal aos ouvidos do Senhor; porque o Senhor ouviu-o, e a sua ira se acendeu, e o fogo do Senhor ardeu entre eles e consumiu os que estavam na última parte do arraial” (Nm 11.1).

É muito raro, hoje em dia, conviver com alguém que não se queixe de alguma coisa. A insatisfação do povo é visível e real. Tanto grandes como pequenos reclamam de alguma coisa, até mesmo na igreja do Senhor Jesus, que em vez de somente glorificar e exaltar a Cristo, tem se envolvido em constantes reclamações, as quais só produzem efeitos maléficos e atiça o fogo e a ira de Deus. A Bíblia chama a esse ato de murmuração. Murmuração é uma palavra proveniente do latim “murmurae” que quer dizer emitir, dizer em voz baixa, resmungar, maldizer, falar contra alguém ou algo, apontar faltas, criticar, etc. O povo falou contra Moisés por não concordar com determinações e atos sobre ele impostos. Moisés determinou ao povo que saísse do Egito e o povo obedeceu, porém, um grupo, não muito pequeno, queixou-se da falta de peixe, dos pepinos, dos melões, dos porros (ervas que servem de condimento na cozinha, muito cultivada no sul do Brasil), das cebolas, dos alhos, etc. (Nm 11.5). Outros falaram de Moisés por acharem que ele tirou o povo para morrer no deserto e, por tudo isso, pesou Deus sua mão sobre eles. O próprio Moisés foi induzido ao erro e acabou desabafando diante de Deus, reclamando do fardo pesado de conduzir aquele povo (Nm 11.10-15) pedindo que Deus o matasse. Como se não bastasse o povo se levantar contra o seu líder, juntou-se a ele Miriam e Arão, irmãos de sangue de Moisés, e apontaram falta nele e o resultado foi trágico, pois Miriam, que liderou as acusações, ficou leprosa (Nm 12.10). Arão, por sua vez, se humilhou e pediu perdão aos prantos (Nm 12.11), razão pela qual abrandou a ira de Deus. É muito fácil alguém apontar faltas de outro… Ouvi outro dia: “pessoas grandes falam de ideias. Pessoas médias falam de coisas e pessoas pequenas murmuram, criticam e falam dos outros”… evite por tudo a murmuração e produza mais para o Reino de Deus… Sinto sua ausência, sua comunhão… Há pessoa que, ao término do culto, momento preciosíssimo, pois o pastor poderá se aproximar de todos os membros, afastam-se apressadamente… Tudo faço para não contrariar os desejos do Espírito Santo, pois eu amo a todos em Cristo! Não provoque um incêndio no seu arraial!

Caso o amigo e irmão deseje ler todo o livro, o volume II da Coleção Nas Asas do Espírito, entre em contato comigo e adquira-o, não só este, mas os demais volumes pelos pelos telefones (61) 9551-9827 (claro) ou (61) 8195-1942 (TIM) e ainda (61) 3242-4456, email orcelio.orcelio@gmail.com e farei o possível para que o livro chegue em suas mãos, uma vez que você não o encontrará, ainda, nas principais livrarias nacionais.

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook