Não permita que a lua-de-mel se acabe em seu relacionamento conjugal

“O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba…” (1 Coríntios 13.4-8).

Um dos assuntos mais explorados pelos ensinadores bíblicos, ao longo dos anos, tem sido o assunto sobre o amor, principalmente, o amor entre um homem e uma mulher, o chamado amor conjugal. Com a globalização, a comercialização e a proliferação de produtos, desde os relacionados com a produção cinematográfica e outros pertinentes ao assunto, tem invadido esse mundo sem governo e promovido desde a separação, união, perversão, desunião,  confusão, etc, numa escala capaz de promover o abatimento e a desintegração da família, todavia, o conceito bíblico de homem, mulher e filhos, componentes desta tríplice harmonia divina, tem se deteriorado ao longo dos anos. Quando aprendemos o verdadeiro significado do amor e amamos de verdade, conforme recomenda as Escrituras, o espaço para a dúvida, a infidelidade, a injustiça, o ciúme, certamente, vão dando lugar a confiança e o prazer de gozar a vida ao lado da pessoa amada. Depois que aprendemos a lição de que não nascemos para mudar ninguém e que esse papel é do Espírito Santo, e que temos a capacidade espiritual dada por Deus para conviver com os defeitos e imperfeições da pessoa que amamos, então começamos a descobrir a verdadeira felicidade conjugal, e passamos a viver melhor. Quando amamos de verdade ao Senhor Jesus, Ele coloca em nosso coração capacidade para amarmos a pessoa a quem nos unimos. Aprendemos a amar ao nosso semelhante. Esse amor, conforme diz Paulo, pode ser expresso em forma de paciência, benignidade, abandono radical do ciúme, da soberba, do portar-se indecentemente, da busca pelos interesses do outro, do viver quieto, tudo fazendo para não se ressentir e nem se alegrar com as formas de injustiça que tanto prolifera na mídia. Paulo, ainda diz que “o amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba.”. O amor na verdade jamais poderia acabar, todavia, a esperança de muitos, que espera com paciência no Senhor, a fim de que ele possa atar os elos abertos, untar e fechar as feridas mal cicatrizadas, reunir os corações partidos, reatar os ideais formados na noite de núpcias, aonde a felicidade parecia não ter fim, nunca acabar…, sim, o Senhor é o mesmo, e está disposto a realizar uma nova invertida no teu sentimental, portanto, é preciso que o casal queira, tenha esperança, tenha vontade de ser despertado pelo Espírito Santo. Jesus quer o melhor para o casal e oferece oportunidades constantes, para que concordem aqui na terra em querer o melhor, a fim de que a Trindade, no céu, possa concordar. Não permita que a lua-de-mel, que começou num dia tão lindo, se acabe, promovendo assim, festa no arraial do inimigo de nossas almas. Saiba que o “amor jamais poderá se acabar entre os cônjuges, para isso, o Espírito Santo precisa estar entre o casal sempre.

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook