“Ei! me ajuda aqui!”

“Quem não é comigo é contra mim, e quem comigo não ajunta, espalha” (Mateus 12.30).

Por todos os lados, em todas as direções e em todos os lugares se alastra o fenômeno chamado “esfriamento na fé em Cristo”. Este movimento orquestrado pelo inferno tem invadido as igrejas e, também, lares bem estruturados, de modo que até homens e mulheres outrora cheios do Espírito Santo e bem ativos na obra do Senhor têm negligenciado o ministério recebido de Jesus e optado por permanecerem alheios aos problemas que envolvem a Igreja do Cordeiro. Jesus ensinou aos seus discípulos que todo aquele que não somar ou contribuir para ajuntar vidas em torno do Evangelho faz uma ação contrária: espalha, ou seja, não está ao lado do Mestre realizando as tarefas de um bom cristão. O ato de se dispersar é bem abrangente. Quando um casal não se esforça para viver conforme a doutrina cristã, mas escolhe o digladiamento verbal e, às vezes, físico no viver conjugal, tão somente trabalha contra a hegemonia do reino de Deus, que prega a união e o viver em harmonia. A contenda acirrada entre os cônjuges não produz edificação, só serve para espalhar, jogar fora, “lançar no mar” os bens espirituais recebidos de Cristo, principalmente, o amor, o perdão, o acordo, a paz e, na maioria das vezes, os dons espirituais recebidos com tanto esforço e dedicação à oração, dons que são muito valiosos para vencer as dificuldades e barreiras que surgem na caminhada cristã. “– Ei! Me ajuda aqui!” Em oração você pode prestar sua colaboração para que a igreja cresça na graça e no conhecimento de Deus. Você pode ajudar, também, fazendo a sua parte como pai, como mãe, exercendo autoridade e tendo cuidado em levar toda a sua casa a servir ao Senhor. Você pode cooperar para que seus filhos não faltem à Escola Dominical, aos cultos oficiais da igreja e tenham um desempenho exemplar na escola e em todos os lugares por onde eles andarem. “– Ei! Me ajuda aqui!” Você pode corrigir, doutrinar, disciplinar e educar bem seus filhos a fim de que cresçam sadios e firmes na fé para que não abandonem os valores morais, éticos e espirituais recebidos. “– Ei! Me ajuda aqui!” Você pode detectar as dificuldades que os membros da igreja têm para servir ao Senhor, os problemas que os impedem de crescer na graça, os traumas e as demais questões que assolam nossa gente, nossa comunidade e aqueles que estão sempre conosco bem como aqueles que se afastaram por algum motivo. Eu conto com você, papai, mamãe, pois podemos fazer uma parceria de amor e carinho, de modo que vamos resgatar vidas que poderão se perder, ou que já estão perdidas, nas garras do Inimigo. Eu creio neste mover do Espírito para, por meio de nós, restaurar essas pessoas. “– Ei! Me ajuda aqui!”

Caso você deseje ler toda a Coleção Nas Asas do Espírito, Principalmente o Volume III, de onde foi tirado este texto, ou o livro Avistei o Farol, onde narro parte de minha vida secular, ou seja, testemunhos que me ocorreram na minha trajetória na Marinha do Brasil, entre em contato comigo e adquira todos os livros por um preço espetacular, é só fazer contato pelos telefones (61) 9551-9827 (claro) ou (61) 8195-1942 (TIM) e ainda (61) 3242-4456, email orcelio.orcelio@gmail.com e farei o possível para que os livros cheguem em suas mãos, uma vez que você não os encontrará, ainda nas principais livrarias nacionais.

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook