“E sucedeu que, no terceiro ano de Oséias, filho de Elá, rei de Israel, começou a reinar Ezequias, filho de Acaz, rei de Judá” (2 aos Reis 18.1).

Ezequias na língua hebraica tem um significado muito interessante: Fortalecido por Deus. É tão bom quando o homem recebe de Deus esse fortalecimento, não só no seu corpo físico, a saúde, o vigor e a disposição, mas também na alma, no coração, o que chamamos de alegria da Salvação, onde a pessoa mediante a fé em Jesus Cristo tem a capacidade de se manter firme na fé e através de uma vida cristã equilibrada consegue produzir bons frutos, sendo boa em suas atitudes para com os seus semelhantes. Ezequias era filho de Acaz, homem muito ruim, perverso e desobediente a Deus e aos profetas, foi rei de Judá, e enveredou pelo caminho da idolatria, ao ponto de sacrificar um dos seus filhos vivos no fogo em oferecimento ao deus Assur, entidade maior dos Assírios. Ezequias foi um filho que não seguiu os passos de seu pai e ficou conhecido porque quando adoeceu de morte, Deus mandou Isaías orar por ele e lhe acrescentou quinze anos de vida. Ezequias foi um rei que alcançou misericórdia da parte do Senhor e isso se deveu a alguns fatores: optou em estabelecer uma relação própria e de intimidade com o Deus de Israel: “(Ezequias) E fez o que era reto aos olhos do Senhor, conforme tudo o que fizera Davi, seu pai” (2 Rs 18.3); o jovem rei de Judá entendeu que o Senhor não tinha somente ouvidos para ouvir suas súplicas, mas tinha boca para falar, para admoestar e corrigir: “Assim, foi o Senhor com ele, para onde quer que saía, se conduzia com prudência, e se revoltou contra o rei da Assíria e não o serviu” (2 Rs 18.7); Ezequias seguiu a orientação de Deus e fez de tudo para arrumar a casa, ou seja, levou o povo a adoração, fez com que a sua vida fosse mais dedicada as coisas sagradas e isso agradou ao Senhor: “…abriu as portas da Casa do Senhor e as reparou. E trouxe os sacerdotes e os levitas, e os ajuntou na praça oriental e lhes disse: ouvi-me, ó levitas! Santificai-vos, agora, e santificai a Casa do Senhor, Deus, e santificai a Casa do Senhor, Deus de vossos pais, e tirai do santuário a imundícia. Porque nossos pais transgrediram e fizeram o que era mal aos olhos do Senhor” (2 Cr 29.3-6); Ezequias por ser um homem de oração tornou-se um homem brando, quebrantado de espírito e prudente em seus atos: “Ah! Senhor! Sê servido de te lembrar de que andei diante de ti em verdade e com o coração perfeito e fiz o que era reto aos seus olhos. E chorou Ezequias muitíssimo… volta e dize a Ezequias, chefe do meu povo: Assim diz o Senhor, Deus de Davi, teu pai: ouvi a tua oração e vi as tuas lágrimas, eis que eu te sararei ao terceiro dia subirás à Casa do Senhor” (2 Rs 20.3,5); Ezequias foi um rei que não teve vergonha de sua fé em Deus, mas glorificou-o em sua vida: “E pôs oficiais de guerra sobre o povo, e ajuntou-os a si na praça da porta da cidade, e falou-lhes ao coração, dizendo: Esforçai-vos e tende bom ânimo, não temais, nem vos espanteis por causa do rei da Assíria, nem por causa de toda a multidão que está com ele, porque há um maior conosco do que com ele” (2 Cr 32.6,7) e por fim, o segredo da vitória de Ezequias é porque ele sempre se preparava para outra investida de Satanás, ele não relaxava em seus atos e nem na sua fé, ele era vigilante e prudente: “Depois dessas coisas e dessa fidelidade, veio Senaqueribe, rei da Assíria, e entrou em Judá…” (2 Cr 32.1). Sempre que estamos numa fase bem harmoniosa com Deus, estado de fidelidade, as lutas chegam bravamente, porém, se permanecermos firmes na fé e fiel a Deus, obteremos a vitória e paz haverá em nossas vidas.