“Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá a Deus” (Hebreus 12.14).

Terminou, no último dia onze, o maior evento do futebol, a Copa FIFA 2010, realizada na África do Sul, denominada de Copa do Mundo, por reunir as melhores seleções dos continentes. O país do futebol, Brasil, voltou para casa bem cedo, talvez porque os jogadores da seleção canarinho não tivessem se adaptado com a Jabulani, a bola tão criticada por muitos jogadores e técnicos brasileiros e estrangeiros. Produzida pela empresa Adidas, a Jabulani foi a bola oficial da competição futebolística. Ela foi a responsável por algumas jogadas espetaculares, porque não dizer, estranhas, com efeitos incríveis, que resultaram em gol, traindo a confiança de excelentes goleiros que, provavelmente, não seriam surpreendidos se a bola do jogo fosse uma outra. Jabulani é uma palavra da língua Bantu Zulu, um dos onze idiomas oficiais da África do Sul, e significa “celebrar”. Suas onze cores, de acordo com a Adidas, foram escolhidas para representar os onze jogadores de cada seleção, os onze idiomas oficiais do país sede da Copa e as onze etnias que formam a população sul-africana. As muitas características dessa famigerada bola podem trazer ao cristão sinais de alerta, como um farol que orienta os navios no mar assim será com relação à vida cristã de cada salvo. Vejamos algumas: 1) A cor: A cor predominante, o branco, segundo a tipologia bíblica, significa pureza, santidade e relaciona-se com a santificação do cristão. Esse processo de purificação deve ser uma busca constante por ele ser responsável pelas vitórias do crente no mundo e o passaporte para que ele veja o Senhor no céu – “Sem santificação, ninguém verá a Deus”. Como o branco nela predomina, de longe ela se desloca exuberante e ligeira como se fosse vestida de um véu de noiva, pois, ao ser chutada, o branco realça, como as vestes do salvo totalmente brancas: “Em todo tempo sejam alvas as tuas vestes e nunca falte o óleo sobre a tua cabeça” (Ec 9.8). De preferência, salpicada com sangue, o “sangue do Cordeiro de Deus, Jesus Cristo” (Ap 22.14). Quem prima por uma vida santificada é mais que vencedor nas batalhas que se levantam em sua trajetória cristã. 2) Os gomos de cores na tonalidade dourada – a Jabulani é pomposa, bela, com seus oito gomos dourados em homenagem à capital da África do Sul, Joanesburgo, conhecida como “lugar de ouro”. De igual modo, aquele que pretende ou já carimbou seu passaporte para a Nova Jerusalém irá contemplar as doze portas de pérolas desta cidade e a sua praça de ouro puro, como vidro transparente (Ap 21.21). Com a tonalidade do ouro, a Jabulani reluz e se destaca. Essa alusão serve como alerta ao cristão temente a Deus, para que não deixe de ser um vaso de ouro (2 Tm 2.20), para uso contínuo do Espírito Santo. 3) O nome Jabulani cujo significado é “celebração” – A Bíblia diz “Celebrai com júbilo ao Senhor, todos os moradores da terra; dai brados de alegria, regozijai-vos e cantai louvores” (Salmo 98.4) não deixando de render glórias ao Senhor com seu instrumento de sopro ou corda. Caso não tenha, serve a Vuvunzela, mas não deixe de glorificar e exaltar o nome do Senhor todo-poderoso. A Jabulani, tão cedo, não será esquecida de todos quantos assistiram à Copa 2010 e você, sempre que ouvir falar esse nome, lembre-se de que algumas características dessa bola podem muito te auxiliar na olhada para dentro de si mesmo e te levar a enxergar o seu estado espiritual e aí você verifica que não poderá viver cheio do Espírito Santo sem a santidade exigida por Cristo. Tal atitude é uma ação de ousadia por parte de cada salvo.

Caso você deseje ler toda a Coleção Nas Asas do Espírito, Principalmente o Volume III, de onde foi tirado este texto, ou o livro Avistei o Farol, onde narro parte de minha vida secular, ou seja, testemunhos que me ocorreram na minha trajetória na Marinha do Brasil, entre em contato comigo e adquira todos os livros por um preço espetacular, é só fazer contato pelos telefones (61) 9551-9827 (claro) ou (61) 8195-1942 (TIM) e ainda (61) 3242-4456, email orcelio.orcelio@gmail.com e farei o possível para que os livros cheguem em suas mãos, uma vez que você não os encontrará, ainda nas principais livrarias nacionais.