“E a mulher de Ló olhou para trás e ficou convertida numa estátua de sal” (Gênesis 19.26).

 A mídia divulga todos os dias uma série de reportagem concernente a Seleção brasileira. Os principais canais de TV que estão cobrindo os noticiários esportivos fazem mesas redondas para discutirem toda a sorte de fatos relacionados às COPAS passadas e quase sempre ficam relembrando alguns incidentes com a Seleção, os quais lhe tiraram a oportunidade de ser algumas vezes campeã do mundo. Um deles aconteceu em 1950. O Brasil tinha construído o maior estádio de futebol do mundo, o esplendoroso e gigantesco Maracanã. A COPA, realizada em solo brasileiro, não teve final, mas foi decidida em um quadrangular e na final ficaram Brasil e Uruguai e este, conseguiu a vitória de virada com gols de Juan Schiaffino e Alcides Ghiggia. Essa COPA foi a primeira da FIFA após a Segunda Guerra Mundial. Muitos brasileiros estão olhando para trás e se prendem àquela derrota que ficou para trás. Falando em olhar para trás, e é por isso que estou escrevendo essa palavra amiga, a fim de que ela sirva de alerta para você e eu. O apóstolo Paulo nos instrui de maneira diferente, diz ele: “…prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus” (Fp 3.12). É preciso olhar para frente, para o que está acontecendo hoje, e projetar a nossa esperança no amanhã, mesmo sabendo que ele pertence a Deus. Não podemos nos prender as coisas passadas. É um perigo olhar para trás. A mulher de Ló, sobrinho do patriarca Abraão olhou para trás, desobedecendo à ordem de Deus e foi transformada numa estátua de sal. Talvez ela tenha sentido saudades de sua casa, de seus pertences, da cidade, do armazém, dos amigos e amigas, dos parentes talvez, o certo é que o anjo disse a Ló e a sua família: “não olhem para trás”. Por pouco ela não alcançou a salvação juntamente com seu marido e suas filhas. Ela foi desobediente e não creu na ordem dada pelo anjo, ela olhou para trás. Ei! deixe as coisa velhas para trás. A Bíblia diz: “As coisas velhas se passaram, eis que tudo se fez novo”. Creia nisso e esqueça as coisas passadas e, viva o presente, como sendo uma dádiva de Deus.