“E todo aquele que luta de tudo se abstém, eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível, nós, porém, uma incorruptível” (1 Coríntios 9.25).

 Como é impressionante ver nas arquibancadas torcidas de diferentes nacionalidades juntas num só propósito: divertir-se com as jogadas de seus times, não importando se eles irão ganhar ou perder, o que importa é está ali próximos dos atletas, todos juntos, com o mesmo objetivo: o de participar de um evento mundial como a COPA da FIFA num país que não é o seu e trocar figurinhas no campo cultural, isso é muito belo e prazeroso. O futebol tem o poder de aproximar os povos, mesmo que no campo político haja algum tipo de beligerância. Acho muito interessante como as coisas acontecem no contexto futebolístico. É bem verdade que existem rivalidades entre torcidas, e se os ânimos não forem acalmados poderá haver sérios problemas, tal fato, é uma realidade e uma constância nos estádios brasileiros quando jogam times nacionais. A COPA do Mundo é diferente, porquanto, a festa parece mais uma confraternização de culturas do que uma simples competição. A igreja de Cristo não só tem o objetivo de unir vidas, mas, também, contribuiu para que elas sejam alcançadas pelo poder do Evangelho. Este é poder de Deus para todo aquele que crê em Jesus. O apóstolo Paulo disse: “porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego” (Rm 1.16). A igreja é formada de atletas que se abstém de tudo que contraria a operação do Espírito Santo em sua vida. Esses atletas da fé, tem a finalidade de promover a união das pessoas e muito mais, pregar o santo evangelho para que as pessoas ouçam a mensagem e se convertam dos seus pecados. O futebol poderá sim contribuir para a união dos povos, porém, a salvação deles é por meio da evangelização feita pela Igreja do Senhor Jesus Cristo.