“E desejava encher o seu estômago com as bolotas que os porcos comiam, e ninguém lhe dava nada. E, tornando em si, disse: Quantos jornaleiros de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti; Já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus jornaleiros. E, levantando-se, foi para seu pai; e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou” (Lucas 15.16-20).

 Para muitos tem se tornado emocionante ver o seu time sair perdendo e antes que o tempo do jogo termine acontece o famoso vira-vira. Essa prática tem sido uma constante nessa COPA aqui no Brasil. Não vou aqui citar os times que começaram perdendo e conseguiram a vitória de virada, mas quero dizer que essa prática pode muito influenciar o cristão que se encontra numa situação adversa, mergulhado até o pescoço em problemas seriíssimos, desde os financeiros até mesmo os mais complexos ligados à família. O jovem da parábola em lide chegou ao “fundo do poço” (expressão muito usada por aqueles que se acham numa situação dificílima de ser solucionada), quando a esperança já fez naufrágio e a fé falta nos momentos mais importantes e que mais se precisa. O moço perdeu todos os seus haveres, ao ponto de ir cuidar dos porcos e disputar a comida com eles. Uma pessoa que vivia, aparentemente bem ao lado de seu pai, ajudando-o a tocar o trabalho na fazendo, no sitio ou algo parecido. Tudo indica que nada lhe faltava e ele gozava de plena estabilidade em todo o contexto de sua vida, porém, um dia pediu a parte dos bens que lhe pertenciam como filho e se mandou de casa, indo morar bem distante e todas as suas economias gastou com amigos e farras noturnas, chegando a um estado de vida lastimável, indo conviver com os porcos, como um porqueiro sem ter nada na vida. Um dia, ele pensou em sua própria situação e a comparou com os empregados de seu pai e viu que estava perdendo, já havia perdido tudo e que estava em grandes desvantagens. Depois de muito pensar em sua derrota, disse: “Levantar-me-ei e irei ter com meu pai e dir-lhe-ei: pequei contra o céu e contra ti…”. Essa foi a hora da virada, o momento em que o homem disse para Deus que não era nada e precisava de Sua ajuda, da Sua misericórdia e do Seu infinito amor. Quando o moço se levantou e foi realmente ao encontro de seu pai, de volta ao lar, tudo mudo em sua vida. Muitos precisam dessa força, dessa garra para poder virar o jogo, começar a vencer e se tornar um grande vitorioso. É hora da virada, Deus quer transformar a sua vida, e isso só será possível mediante a fé em Jesus Cristo.