Quando Deus se cansa de seu povo

“Enfadais ao Senhor com vossas palavras; e ainda dizeis: Em que o enfadamos? Nisto que dizeis: Qualquer que faz o mal passa por bom aos olhos do Senhor, e desses é que ele se agrada, ou, onde está o Deus do juízo?” (Malaquias 2.17).

 

Nesta passagem percebe-se que Deus estava externando a sua irritação com Judá. Os céticos da época estavam insinuando que os malfeitores agradavam a Deus, visto que estes últimos pareciam prosperar. Ora, se havia prosperidade para os que praticavam o mal, então, porque se devia servir a Deus? A verdade é que Judá estava repreensível diante do Senhor e por isso Ele estava irado. Qual a sua opinião sobre o modo como o culto divino vem sendo ministrado hoje nas igrejas evangélicas? Tem Deus recebido o nosso culto? O que nos faz crer que Deus está satisfeito com nossa maneira de cultuá-lo? Para que houvesse o sacrifício o sacerdote fazia um aparato, tudo era motivo de grandes observâncias escrupulosas quanto às regras dos sacrifícios de animais. O cerimonialismo era conduzido com muita frieza. Eles, os sacerdotes, enfatizavam a mera forma externa do culto, ao mesmo tempo em que desprezavam o seu conteúdo real. Faltava o essencial: a fé e a comunhão verdadeira no Senhor Deus. Muitos cultos hoje são formalistas, ou seja, a ênfase exagerada às formas externas da religião é externada em detrimento de sua essência, ou melhor, falta o compromisso de se cultuar a Deus, dando-lhe reverência e mantendo com Ele a plena comunhão. O formalismo religioso leva o homem a se aproximar de Deus; dizer que honra, que ama e que até morre pela causa do Evangelho, porém, tudo é dito da boca para fora. O formalismo afasta a igreja de Cristo do primeiro amor, pois o serviço e o verdadeiro amor começam a perder terreno, permitindo que grupos se infiltrem na igreja e removam os marcos, tal como fizeram os nicolaítas na igreja de Pérgamo, eles eram cristãos que apesar de serem convertidos e membros da igreja de Jesus em Pérgamo, de alguma maneira estabeleciam compromissos e aprovavam pecados da carne, o que era rejeitado pela igreja. Entre as diversas maneiras de se combater o formalismo, algumas são eficazes: envolver-se com a obra missionária; permanecer em constante renovação espiritual e conservar pela fé o que tens recebido do Senhor. Fazendo assim, Deus não se cansará de você, pelo contrário, o Espírito Santo irá lhe usar grandemente em Sua obra.

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook