“Cobiçais e nada tendes; sois invejosos e cobiçosos e não podeis alcançar; combateis e guerreais e nada tendes, porque não pedis” (Tiago 4.2).

Aqueles que buscam a realização profissional não estão errados. Todos nós devemos lutar pelo nosso bem estar e por um futuro melhor para nós e a família que iremos construir, porém que cuidados devemos tomar nessa busca pelas realizações profissionais? Quando o desejo por essa busca se torna uma obsessão, um desejo cego e sem observar as orientações do Senhor Deus. Os nossos sonhos e objetivos deverão ser alcançados com a ajuda e a orientação do Senhor Jesus. Muitos para alcançarem essa realização profissional acabam se envolvendo em algum tipo de contenda e essa maneira não é o melhor caminho. Outros usam de dissimulação para atingirem um cargo, um posto, uma chefia que lhe dê maior status. Dissimular é ocultar, encobrir, fingir, disfarçar, etc, essa campo semântico tem sido vivido por muitos que fingem e disfarçam uma conduta a fim de obterem um galardão indevido. Muitos têm se digladiado e até resultando em inimizades ferrenhas devido a alguns usarem da insenstez materialista, buscando a todo o custo adquerirem algo que está longe do seu alcance pelos meios naturais e normais. São pessoas que colocam a sua esperança na incerteza das riquezas deste mundo. A Bíblia alerta a esse tipo de pessoa dizendo: “Como dizes: rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta, e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego e nu” (ap 3.17). Quanto o homem tem obsessão pelas riquezas materiais e luta por elas por vias ilícitas, acaba se envolvendo em uma tragédia chamada autoconfiança humana, porquanto, o desejo de poder poderá destruir suas grandes amizades, visto que a pessoa fica cega e às vezes não enxerga àqueles que poderiam lhe ajudar a subir na vida profissional de maneira honrosa. A Palavra de Deus diz: “Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte” (1 Pe 5.6). Esse é o segredo para quem quer crescer e se manter no topo da bênção. Grande inimizades têm se evidenciado entre grande amigos por causa da cobiça e da inveja. A cobiça não só Promove a contenda, mas também a morte. O apóstolo Tiago diz: “cobiçais, e nada tendes; matais, e sois invejosos, e nada podeis alcançar; combateis e guerreais, e nada tendes, porque não pedis” (Tiago 4.2). A inveja, por sua vez, é prima da cobiça e da avareza. Quantas bênçãos em nossas vidas são impedidas porque contendemos, tudo devido as paixões humans e a busca egoísta pela autorealização profissional fora da vontade de Deus, tendo como consequências as orações não respondidas e o impedimento do sucesso em todos os contextos de nossas vidas, quer no campo material como no espiritual. Nessa luta desenfreada o homem acaba se tornando inimigo de Deus, pois para a ser um aliado do mundo (Tg 4.4). O apóstolo Tiago exorta a que os crentes carnais, cheios de inveja e cobiça, ao invés de pelejarem entre si, devem converter-se, sentindo suas misérias, através do lamento e do choro, tornando o riso da carne em pranto interior, e o gozo mundano em tristeza, atitudes essas que significam mudanças perante Deus. Se os crentes se humilharem, Deus os exaltará. Se eles se exaltarem, serão humilhados. A humildade é a arma por excelência contra o orgulho, a inveja, a cobiça, as pelejas nas igrejas. Saiba que a busca obsessiva pelas realizações humanas poderá trazer prejuízos irreparáveis à vida daqueles que não buscam orientação da parte de Deus.