“Vigiai, pois, em todo o tempo, orando, para que sejais havidos por dignos de evitar todas essas coisas que hão de acontecer e de estar em pé diante do filho do Homem” (Lucas 21.36).

A geração anti-diluviana, as gerações da época do patriarca Noé, que pereceram porque não vigiaram, não atentaram para as mensagens pregadas e nem para as profecias vaticinadas pelo comandante da arca, porém, preferiram “…comer, beber, casar e se dar em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca” (Mateus 24.38). Jesus sempre orientou aos seus discípulos sobre o dever de vigiar. No Evangelho de Lucas no capítulo 12, Jesus falou sobre a parábola do servo vigilante, mostrando a necessidade do homem em Cristo, optar por uma atitude de prontidão quanto à espera do Arrebatamento. O norte apontado por Jesus diz respeito a nossa partida a qualquer momento e nada nessa vida poderia nos impedir. Ele disse: “Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas as vossas candeias” (Lc 12.35). Segundo os costumes antigos, na Palestina, as vestes dos homens eram longas e, nas ocasiões em que se exigia pressa, elas dificultavam os movimentos. Assim, tornava-se indispensável o uso de uma faixa em volta da cintura. Elias, o profeta do fogo, após o episódio do Carmelo, teve de correr, sob forte chuva, de lombos cingidos (1 Rs 18.46). No sentido espiritual, “lombos cingidos” significam preparação para partir a qualquer momento, quando do Arrebatamento da Igreja do Senhor. É necessário ter consciência da importância deste oreoari, O apóstolo Pedro ao exortar quanto à santidade, ordenou que tenhamos cingidos os lombos do entendimento e esperemos inteiramente na graça do Senhor Jesus Cristo: “Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios, e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo” (1 Pedro 1.13). Deus tem admoestado a Igreja do Cordeiro a permanecer em plena vigilância. Na parábola de Jesus, Ele mesmo diz aos ouvintes que sejam semelhantes aos homens que esperam, são vigilantes, quanto ao regresso do seu senhor. O mais importante, nisso tudo, é que cada cristão tenha em mente que não pode relaxar quanto ao assunto da vigilância: “Não sabemos o dia e nem a hora em que o Senhor voltará para buscar a sua Igreja”. Então, todos deverão se manter em “alerta vermelho”, ou seja, luz vermelha acessa e redobrada vigilância devido o elemento surpresa, para isso, é preciso vigiar em todo o tempo.