Então, disse o Senhor a Moisés: Por que clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem?” – (Êxodo 14,15).

O capítulo 14 do livro de Êxodo trata do novo caminho que trilhou o povo de Deus após ser libertado por Moisés do Egito. “Pi-Hairote, em hebraico é “lugar de juncos”, “Migdol” é “torre” e “Baal-Zefom”, significa “senhor da vigilância”. Quando se clama, se busca obter uma maior intimidade com Deus, ou seja, quando marchamos em direção aos nossos objetivos e alvos de vida encontramos dificuldades e obstáculos que tentarão impedir a marcha, porém, é preciso entender que o Senhor está conosco todos os dias até a consumação dos séculos. Moisés está numa situação difícil, pois, a sua retaguarda Faraó avançava desesperado com seu grande exército e a sua frente erguia-se o furioso e bravio mar, então disse Deus assim: “Por que clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem?”. Se precisamos de ouvir a voz do Senhor é necessário clamar, porquanto Ele está sempre pronto para ouvir aos que creem e temem o seu nome: “Clamas a mim e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas que não sabes” (Jr 33.3), Quem clama obtém o auxílio de Deus através daoração: “Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis” (Rm 8.26). Lloyd John Ogilvie, Dr. e pastor Presbiteriano, autor do livro “O Senhor do Impossível” (LoydJonhOgilvie) livro lançado pela editora Vida, que mostra como o Deus do impossível opera, disse certa vez:“A oração não consiste em chamar a atenção de Deus, mas em permitir que Ele nos leve a orar por aquilo que Ele está mais pronto a dar do que nós estamos a pedir”.Deus conhece nossas fraquezas na oração e quer nos ajudar. Uma de suas frases marcantes na Bíblia diz: “O Espírito Santo ajuda em nossas fraquezas, dá sabedoria a nossa ignorância, transforma a ignorância em sabedoria e transforma nossas fraquezas em força.”. O Espírito Santo, nos sustenta enquanto lutamos e nos fatigamos com o trabalho; Ele intercede por nós e em nós. Ele aviva, ilumina e inspira nossas orações; Ele proclama e eleva o significado de nossas orações, inspirando as palavras e os sentimentos que nelas encontramos; Ele opera poderosamente em nós para que possamos orar poderosamente. Ele nos capacita a orar continua e constantemente, de acordo com a vontade de Deus”. Paulo disse: “Também, o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis” (Rm 8.26). Ei, é hora de avançar e não de recuar. Pega a mochila, põe nas costas e comece a caminhar, não pare, não volte para trás, nem olhe para a direita e nem para a esquerda, siga em frente, sempre em frente, pois é ora de olhar para o alvo, de avançar e não de parar.