“Exorta os servos a que se sujeitem a seu senhor e em tudo agradem, não contradizendo”(Tito 2.9).

O bombeiro é uma função nobre e de grande valia para sociedade. O bombeiro arisca a sua vida para salvar o semelhante. Muitos deles perdem a própria vida em alguns salvamentos perigosos e complicados. O bombeiro ensina, divulga e orienta a sociedade a prevenir sua casa e a vida contra incêndios e acidentes diversos. A prevenção quando bem observada evita acidentes que culminam em óbitos. A igreja de Cristo necessita de bombeiros capacitados que possam ajudar o pastor da igreja a apagar incêndios. Geralmente, um foco de fogo estranho na equipe de louvor, outro no coral, outro na orquestra, outro no som, outro no seio da mocidade, etc, se não for bem extinto, poderá causar sérios estragos entre o rebanho do Senhor. Muitas vezes o pastor apaga um incêndio de relacionamento conjugal e outro já dá sinal de vida em outro departamento ou grupo da igreja. O pastor necessita de bombeiros que possam ajudá-lo a combater os incêndios que surgem a cada momento. Viajei recentemente pela BR-40 e pude perceber vários focos de incêndios ao longo da via. Outros focos incontroláveis, pois o vento espalhava as chamas para todos os lados. Paulo quando deparava-se com algum problema, ele lançava mão de dois grandes bombeiros espirituais, Tito e Timóteo. Toda igreja precisa de homens e mulheres com capacidade para extinguir as chamas do pecado, da dissenção, da intriga, do “disse-me-disse”, da insensatez, das inverdades e invejas que se alastram no seio da comunidade cristã. O pastor sozinho não consegue apagar esse tipo de fogo que consome o amor e a paz, principalmente, se for época de seca, onde os irmãos são “secos” um para com os outros, ou seja, não se amam e não se entendem com facilidade. É preciso que os bombeiros capacitados pelo Espírito Santo entrem em ação urgentemente, pois, o fogo está destruindo os relacionamentos construídos à base da Palavra de Deus.