“Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desviava do mal” (Jó 1.1).

A igreja de Cristo não pode jamais ficar alienada aos acontecimentos seculares, pois eles é que evidenciarão a vinda do Senhor Jesus Cristo. Quando a igreja procura discernir corretamente o Corpo de Cristo e não se envolve com os negócios embaraçosos desta vida, mas busca viver uma vida de piedade e amor cristão, então, as bênçãos do Senhor recaem sobre ela e todos serão abençoados na pessoa bendita de Jesus Cristo. Como Corpo de Cristo, ou seja, a Igreja de Deus precisa discernir as necessidades e ministérios recebidos do Pai. Por que muitos não conseguem viver debaixo da unção e da graça de Deus? Por que muitos não desfrutam das benesses celestiais? Por que muitos estão padecendo neste mundo pecador? Por que as bênçãos não são recebidas por igual? Jó foi um homem íntegro, temente a Deus e nem por isso escapou de uma provação cruel. Ao recebermos alguma coisa de Deus é preciso que lhe sejamos grato. Muitos não agradecem o pouco que recebem do Criador e por isso tem as bênçãos futuras em sua vida impedidas. Não recebemos bênçãos sobre bênçãos da parte de Deus porque limitamos Deus, ou seja, não depositamos no Senhor a fé autêntica e verdadeira. Oramos pouco, buscamos pouco, produzimos pouco e queremos muitos. O agradecimento é fator primordial na vida de todo cristão. Não podemos viver de modo limitado, todavia, é preciso exercer a fé e depositar toda a confiança no Espírito Santo, o nosso Consolador. É preciso que cada cristão conheça bem ao Senhor e faça prova dele. Quando conhecemos bem a Deus, valorizamos a Salvação dEle recebida e passamos a viver sem grandes limitações.