“Propôs-lhe outra parábola dizendo: o reino dos céus é semelhante ao homem que semeia boa semente no seu campo; mas, dormindo os homens, veio o seu inimigo e semeou joio no meio do trigo, e retirou-se” (Mateus 13.24-25).

É hora de estar bem acordado, bem despertado, vigilante, sem sonolência espiritual, atento a tudo que o inimigo das almas dos crentes está tramando, principalmente, nesses dias em que você irá usar o seu direito de voto, a fim de colocar no patamar das decisões e da legislação do Brasil aqueles que são tidos e havidos como “fichas limpas”, que não se envolveram com os negócios dessa vida, mas com sacrifício vêm lutando para se manterem íntegros e dispostos a ajudar a melhorar as condições sociais e tecnológicas do nosso país; homens e mulheres que lutam em defesa da preservação e da união da família, que sabem enaltecer os valores morais, exercendo com proficiência a cidadania e o amor ao próximo. É preciso vigiar bem, estar atendo a todas as manobras que os homens sem compromisso com esses valores intentarão contra a sociedade brasileira, prometendo muitas vezes aquilo que não estar na sua esfera de responsabilidade. O texto em lide refere-se a uma das parábolas contadas por Jesus Cristo; Ele a contou a fim de despertar o povo de Israel sobre a vigilância. Mateus foi o único evangelista a registrar essa parábola a qual é regada de um caráter profético, porquanto, na consumação dos séculos o próprio Cristo de Deus irá separar o trigo do joio, os seja, os que são filhos de Deus e os que não o são. A parábola do Trigo e do Joio, como é ela conhecida, é rica em ensinamentos que produzem vida e vida em abundância. O trigo dá uma semente que serve para fazer o pão. A semente de trigo ali semeada refere-se aos “filhos do reino”: “O campo é o mundo; e a boa semente são os filhos do reino; e o joio são os filhos do maligno; O inimigo, que o semeou, é o diabo; e a ceifa é o fim do mundo; e os ceifeiros são os anjos.” (Mt 13.38-39). Que explicação maravilhosa, clara e capaz de se fazer entender até mesmo entre os “loucos”. O meu alerta é para você ficar bem atento nesses dias em que o Brasil irá parar para eleger os seus governantes e os seus legisladores. Não permita que pessoas influenciem você a votar, mas diante das facilidades que temos de conhecer bem os candidatos, através da mídia e da propaganda eleitoral gratuita, mecanismos que ajudam as pessoas a tomarem decisões tão importantes. Não creia em qualquer espírito, mas se informe, adquira o conhecimento necessário para você votar bem. Cuidado, com a sua seara, a sua vida, pois o joio é fácil de contaminar uma plantação.