“Ezequias adoeceu de uma enfermidade mortal; e veio a ele Isaías, filho de Amóz, o profeta, e lhe disse: Assim diz o Senhor: Põe em ordem a tua casa, porque morrerás e não viverás” (Isaías 38.1).

Nos dois últimos dias a mensagem do pão diário tem sido sobre o tema “a cura interior”. A cura interior nada tem a ver com Psicologia Clínica ou Psiquiatria. É bom lembrarmos que somente profissionais psicólogos e psiquiatras estão qualificados para trabalhar nessa área, que é estritamente clínica. O conselheiro espiritual trabalha no espiritual procurando aplicar as verdades bíblicas, de modo que a Palavra de Deus sarará a alma triste e abatida, com ressentimentos e falta de perdão. Se as pessoas soubessem como o perdão é bom para a saúde espiritual, o evidenciavam com mais frequência em suas vidas. Algumas pessoas têm me perguntado se a regressão é boa para a cura interior e eu respondo que não. Levar a pessoa a enfrentar um trauma passado sob o aspecto espiritual difere tremendamente da análise ou da regressão. A regressão muito usada por alguns grupos tidos e havidos como evangélicos é anti-bíblica e prejudicial à saúde mental e espiritual. Assim como um profissional não cristão, ou sem cobertura espiritual não está qualificado para tratar de problemas espirituais, o conselheiro espiritual, se não for um profissional da área de Psicologia ou de Psiquiatria, não estará qualificado para tratar clinicamente um paciente mental. A cura interior é realizada no interior do homem, atingindo: a mente (pensamentos); as emoções; as lembranças desagradáveis e alguns sonhos.  É bom lembrarmos que as origens dos sonhos estão relacionadas a três fatores a saber: as circunstâncias (Is 29.8), as preocupações (Ec 5.3) e as aparições divinas (Gn 20.3,6), isto, à luz da Bíblia sagrada. É bom saber que a natureza dos sonhos são as seguintes: sonhos vãos (Jó 20.8; Sl 73.20; Ec 5.8; Zc 10.2), sonhos mentirosos (Jr 23.27-32), sonhos com mensagens (Nm 12.6; 1 Sm 28.6; Gn 31.24; 1 Rs 3.5; Gn 28.12), sonhos com revelações (Mt 2.12,22), sonhos do Espírito (Joel 2.28; At 2.17), sonhos proféticos (Gn 37.5-10; 40.5-23; Dn 4) e sonhos escatológicos (Dn 2). Cura interior meu amado irmão é o processo pelo qual, por meio da oração, somos libertos de sentimentos de ressentimento, rejeição, autopiedade, depressão, culpa, medo, tristeza, ódio, complexo de inferioridade, autocondenação e senso de desvalor, etc. A Bíblia diz: “E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente…” (Romanos 12.1). A cura interior é a renovação de nossa mente. Essa renovação tira o medo do homem. Jesus disse o seguinte: “Eu estou deixando-lhes uma dádiva – paz de espírito e de coração! E a paz que eu dou não é frágil como a paz que o mundo dá. Portanto não se aflijam nem tenham medo” (Jo 14.27). Há inúmeras pessoas, hoje, que não possuem essa paz interior. E muitas delas são crentes, que, apesar de tudo, acham-se emocionalmente enfermos, embora estejam em boas condições físicas. Jesus deseja que sejamos sãos em todo o nosso ser. Em Isaías 53.5, vemos como a Bíblia prediz a obra de Jesus: “… ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.” Ele quer salvar-nos de nossos pecados – a cura espiritual; quer que tenhamos paz – a cura interior; quer que fiquemos livres de dores e doenças – cura física. Ele quer que todo o nosso ser seja perfeito!