“Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo, E provaram a boa palavra de Deus, e as virtudes do século futuro, E recaíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de Deus, e o expõem ao vitupério.” (Hebreus 6.4-6). (grifo do autor)

O escritor aos hebreus faz um alerta que ecoa até os nossos dias, com respeito àqueles que uma vez tendo sido iluminados e experimentado das boas virtudes do Evangelho, mediante a revelação de Deus em Cristo, desfrutado do dom celestial, o consolador eterno, o Espírito Santo, e comido da excelente Palavra de Deus, acabaram por jogar todas essas benesses no fosso do esquecimento por conta da apostasia da fé, ou seja, a negação da fé genuína em Jesus Cristo e em sua Palavra. A Bíblia diz que essa postura é coisa dos últimos dias: “Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios; Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência”. (1 Tm 4.1-5). Apostasia é um termo grego que tem o significado de abandono da fé, a qual era professada quando se aceitou a Cristo como Senhor e Salvador e uma vez tendo desfrutado da vida de comunhão com Cristo, acabou jogando os valores espirituais no fosso da apostasia. Eu me lembro, quando servia a Marinha do Brasil, algumas vezes tive que fazer parte de algum inquérito de militares que se afastaram do serviço ativo por conta própria, ou seja, desertaram de suas tarefas para com a Pátria, uma vez que juraram perante a Bandeira Nacional de ser fiel até a morte. A apostasia é semelhante, pois o valoroso guerreiro de Cristo, abandona a sua regra de fé e de conduta e uma vez entristecendo o Espírito Santo, se distancia da caminhada cristã. Alguns dizem que a apostasia nada mais é do que uma resignação abdicada e resoluta da graça divina. Apostasia é também a recusa total ou parcial da sã doutrina, não crendo nas verdades anteriormente aceitas pela fé. Paulo escrevendo aos Gálatas ele diz: “Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho; O qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo. Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.” (Gl 1.6-9). Paulo condena veementemente a apostasia. Estamos vivendo os dias em que Paulo falou dos que não suportarão a sã doutrina e nem as verdades preconizadas na Bíblia: “Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas”. (2 Tm 4.3-4). Alguns conseguem até prosseguir na caminha cristã, mesmo cheios de fraquezas e dúvidas, procuram participar da vida ativa em suas congregações, porém, negam ao Senhor com seus atos e o péssimo testemunho cristão. São pessoas que têm o nome de crente, mas acabam apostatando dos seus valores éticos e morais de modo que levam a vida de piedade de maneira desleixada e sem compromisso com a verdade, ou seja, “Confessam que conhecem a Deus, mas negam-no com as obras, sendo abomináveis, e desobedientes, e reprovados para toda a boa obra”.(Tito 1.16). São inúmeros os motivos que levam uma pessoa crente se afastar da fonte de águas vivas, Cristo. Como pastor e conselheiro tenho percebido que a falta de firmeza, as más companhias, a desleixo para com a obra de Deus, principalmente no que toca a Evangelização, a falta de compromisso para com a Palavra de Deus e o desejo desordenado de vencer na vida, ao ponto de não comparecer aos principais cultos na congregação, tem sido as grandes causas da apostasia na fé. Não permita que haja, em sua vida, uma recaída no fosso da apostasia. Deixe Deus te reavivar novamente.