“Black Friday”, consumismo, cobiça e prioridade cristã

“Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele. Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes.
Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína. Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão.” (1 Timóteo 6.7-11).

É a pura verdade e realidade de hoje: “Nada trouxemos para este mundo e consequentemente, nada podemos levar dele”, no entanto, os meses de novembro e dezembro nos países ocidentais são marcados por promoções e corrida desenfreada em busca do melhor preço. Os grandes centros comerciais através dos famigerados “Black Friday”, levam o povo a consumir mais e com isso alguns, que não conseguem se conterem, acabam sacrificando os meses de janeiro, fevereiro e março, pois usam muito o cartão de crédito e iniciam o ano no “vermelho”. Com essa corrida maluca em busca da melhor oferta, alguns não têm tempo nem para planejar os seus gastos e acabam entrando o ano com muitas contas para pagar. Tiago faz um alerta muito sério sobre a cobiça: “De onde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam? Cobiçais, e nada tendes; matais, e sois invejosos, e nada podeis alcançar; combateis e guerreais, e nada tendes, porque não pedis.” (Tiago 4.1-2). A inveja ciranda algumas vidas, e na ânsia de adquirir bens através do consumismo, alguns cobiçam e invejam os bens de outros e com isso nada podem alcançar. A Bíblia condena a cobiça e a inveja: “As vossas riquezas estão apodrecidas, e as vossas vestes estão comidas de traça. O vosso ouro e a vossa prata se enferrujaram; e a sua ferrugem dará testemunho contra vós, e comerá como fogo a vossa carne. Entesourastes para os últimos dias.” (Tiago 5.2-3). É preciso se pensar mais nas coisas que são de cima, nas celestiais, onde a traça e a ferrugem não podem consumir. Faz-se necessário pensar com mais profundidade na vida espiritual, e no bem estar da alma do que nos bens materiais que são passageiros. Estes são muitas vezes necessários e até certo ponto importantes, porém, sem sempre são prioritários para o nosso consumo e a nossa vida. Jesus alertou aos seus discípulos, certa vez, sobre a prioridade que se deve dar à vida: “Por isso vos digo: Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário? Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas?” (Mateus 6.25,26). O que Jesus quis na verdade dizer é que muitos se preocupam mais com as coisas terrenas e os bens materiais do que a vida espiritual e a obra de Deus.

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook