Não permita que a lâmpada de Deus se apague em sua vida (continuação)

“E do trono saíam relâmpagos, e trovões, e vozes; e diante do trono ardiam sete lâmpadas de fogo, as quais são os sete Espíritos de Deus.” (Apocalipse 4.5).

Eu disse ontem que, quem deseja servir ao Senhor de todo o coração e levar uma vida observando a firmeza e a pureza da alma convém manter as sete lâmpadas de Deus acesas em seu ministério. E falei das duas primeiras lâmpadas: a da chamada divina e a da evangelização. Vejamos as demais: Quando o homem de Deus tem a chama da evangelização acesa, ele não mede esforços para realizá-la. Veja o exemplo de Paulo em Atos 16.9,10: “ À noite, sobreveio a Paulo uma visão na qual um varão macedônio estava em pé e lhe rogava, dizendo: Passa à Macedônia e ajuda-nos. 10 Assim que tive a visão, imediatamente, procuramos partir para aquele destino, concluindo que Deus nos havia chamado para lhes anunciar o evangelho”. Veja que a lâmpada da evangelização estando acesa na vida do crente, ele não espera a chuva passar e nem o sol se por, se tem dinheiro ou não, mas parte imediatamente para fazer a vontade de Deus. A lâmpada de muitos evangelistas está apagando-se por falta de azeite, por falta do Espírito Santo. Salmista diz: “Porque tu acenderás a minha lâmpada; o SENHOR meu Deus alumiará as minhas trevas.” (Salmos 18.28). A terceira lâmpada é a da Presença de Deus. Sansão quando, no meu entender achou que essa lâmpada jamais se apagasse. Ele realizava a obra que Deus tinha para ele com a maior naturalidade, e ainda por cima em pecado, porém um dia ele procurou a sua força, símbolo da presença de Deus em sua vida e ela não mais existia: “E disse ela: os filisteus vêm sobre ti, Sansão. E despertou do seu sono e disse: Sairei ainda esta vez como dantes e me livrarei. Porque ele não sabia que já o Senhor se tinha retirado dele” (Juízes 16.20). Aquele que deseja ser vitorioso em sua vida deve preservar a presença do Senhor, não se distanciando do seu caminho. A quarta lâmpada diz respeito a que está cheia de azeite. Tem muita gente que não está se preocupando em encher a sua lamparina de azeite e este, é importante para manter a luz do ministério acesa. Quantos ministérios eclesiásticos estão necessitando de azeite para fazer o trabalho decolar? O azeite é o símbolo do Espírito Santo. Se este, não se fazer presente no trabalho que realizamos, então é preciso procurar as causas da falta dEle, ou seja, porque o azeite está pouco? Por que o azeite parou? A mulher disse ao seu filho: “…traze-me ainda um vaso. Porém,  ele lhe disse: Não há mais vaso nenhum. Então , o azeite parou” (2 Reis 4.6). Quando o homem perde a propriedade de ser vaso de Deus, então, o ministério está se extinguindo, e é necessário renovação urgente. A vida do obreiro do Senhor tem que está untada do azeite, do Espírito Santo. As demais lâmpadas, falarei amanhã. Fique atento.

Não permita que a lâmpada de Deus se apague em sua vida (continuação)

“E do trono saíam relâmpagos, e trovões, e vozes; e diante do trono ardiam sete lâmpadas de fogo, as quais são os sete Espíritos de Deus.” (Apocalipse 4.5).

Eu disse ontem que, quem deseja servir ao Senhor de todo o coração e levar uma vida observando a firmeza e a pureza da alma convém manter as sete lâmpadas de Deus acesas em seu ministério. E falei das duas primeiras lâmpadas: a da chamada divina e a da evangelização. Vejamos as demais: Quando o homem de Deus tem a chama da evangelização acesa, ele não mede esforços para realizá-la. Veja o exemplo de Paulo em Atos 16.9,10: “ À noite, sobreveio a Paulo uma visão na qual um varão macedônio estava em pé e lhe rogava, dizendo: Passa à Macedônia e ajuda-nos. 10 Assim que tive a visão, imediatamente, procuramos partir para aquele destino, concluindo que Deus nos havia chamado para lhes anunciar o evangelho”. Veja que a lâmpada da evangelização estando acesa na vida do crente, ele não espera a chuva passar e nem o sol se por, se tem dinheiro ou não, mas parte imediatamente para fazer a vontade de Deus. A lâmpada de muitos evangelistas está apagando-se por falta de azeite, por falta do Espírito Santo. Salmista diz: “Porque tu acenderás a minha lâmpada; o SENHOR meu Deus alumiará as minhas trevas.” (Salmos 18.28). A terceira lâmpada é a da Presença de Deus. Sansão quando, no meu entender achou que essa lâmpada jamais se apagasse. Ele realizava a obra que Deus tinha para ele com a maior naturalidade, e ainda por cima em pecado, porém um dia ele procurou a sua força, símbolo da presença de Deus em sua vida e ela não mais existia: “E disse ela: os filisteus vêm sobre ti, Sansão. E despertou do seu sono e disse: Sairei ainda esta vez como dantes e me livrarei. Porque ele não sabia que já o Senhor se tinha retirado dele” (Juízes 16.20). Aquele que deseja ser vitorioso em sua vida deve preservar a presença do Senhor, não se distanciando do seu caminho. A quarta lâmpada diz respeito a que está cheia de azeite. Tem muita gente que não está se preocupando em encher a sua lamparina de azeite e este, é importante para manter a luz do ministério acesa. Quantos ministérios eclesiásticos estão necessitando de azeite para fazer o trabalho decolar? O azeite é o símbolo do Espírito Santo. Se este, não se fazer presente no trabalho que realizamos, então é preciso procurar as causas da falta dEle, ou seja, porque o azeite está pouco? Por que o azeite parou? A mulher disse ao seu filho: “…traze-me ainda um vaso. Porém,  ele lhe disse: Não há mais vaso nenhum. Então , o azeite parou” (2 Reis 4.6). Quando o homem perde a propriedade de ser vaso de Deus, então, o ministério está se extinguindo, e é necessário renovação urgente. A vida do obreiro do Senhor tem que está untada do azeite, do Espírito Santo. As demais lâmpadas, falarei amanhã. Fique atento.

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook