Turbulência a bordo (extraído do vol. 3 da Coleção nas Asas do Espírito, da autoria do pastor Orcélio).

“Mas o Senhor mandou ao mar um grande vento, e fez-se no mar uma forte tempestade, e o navio estava a ponto de quebrar-se. Então temeram os marinheiros, e clamavam cada um ao seu deus, e lançaram ao mar as cargas, que estavam no navio, para o aliviarem do seu peso. Jonas, porém, desceu ao porão do navio e, tendo-se deitado, dormia um profundo sono” (Jonas 1.4-5).

Turbulência, no sentido em que aqui aplico, é uma inquietação, uma perturbação ou agitação provocada por uma forte tempestade que mudou a rotina no interior de um navio. A tempestade, por si só, já faz um grande estrago e amedronta muita gente, ainda mais se em alto mar. Ela açoita a embarcação, quer pequena ou de grande porte e, dependendo da intensidade do vento e da altura das ondas, o navio pode até mesmo naufragar e levar toda a tripulação a óbito. O apóstolo Paulo passou por alguns momentos aflitos a bordo, quando navegou por agitados mares. Ele, escrevendo aos Coríntios, revelou momentos angustiantes, em muitas de suas viagens missionárias: “Três vezes fui açoitado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia passei no abismo” (2 Coríntios 11.25). Este que vos escreve, de igual modo, já cruzou mares encapelados, verdadeiros tufões, a bordo de navios de nossa Marinha. Enfrentei ondas gigantescas que lambiam o passadiço. Isso aconteceu no oceano Atlântico, no Caribe, no Mar do Norte e no Mediterrâneo. Ainda hoje não gosto de lembrar-me daqueles instantes tão desesperadores. Somente quem passou por experiências semelhantes podem, de fato, entender o tamanho da dificuldade enfrentada pelos marinheiros que viajavam no mesmo barco em que Jonas viajava. O profeta filho de Amitai foi o responsável pelo cenário critico que envolveu a embarcação e o pessoal a bordo. Os bens adquiridos pelos tripulantes nos portos por onde passaram – fazendas, mantimentos e alguns objetos de valor – foram lançados no mar, numa tentativa de aliviar o meio flutuante. Tudo se perdeu, porque embarcado estava alguém que havia decretado guerra contra Deus. Se você gosta de ter uma vida turbada, cheia de altos e baixos, regada de dificuldades e empecilhos, é só deixar de fazer a vontade do Senhor Jesus Cristo, descumprir suas determinações e abandonar as orientações sábias do Espírito Santo. Deus não se agrada da situação por que muitos estão passando hoje em dia: dificuldades de toda ordem, enfermidades generalizadas, saúde extremamente abalada, penhora de bens adquiridos, negócios desfeitos ou realizados sem a aceitação de Cristo, falta de dinheiro, empréstimos variados, falência e, o pior de tudo, crises conjugais e familiares. Resumindo, o fundo do poço bem à vista, como se fosse um retrato nefasto da própria vida. Talvez você pergunte por que tudo isso está acontecendo justamente contigo. Deus é quem responde: “Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres” (Apocalipse 2.5). Parafraseando o escritor João: “Olha, é bom você se arrepender, confessar os seus pecados e reconhecer que errou. Caso contrário, apagarei a tua luz”. Ou seja, você irá morrer, espiritualmente falando, e quem estiver com você no barco irá sofrer as consequências também. Caríssimo leitor, não permita que o Senhor mande um forte vento para abalar a sua estrutura cristã. Tome uma posição! Não provoque Deus, pois o prejudicado na história é sempre o mais fraco: você mesmo “… o navio estava a ponto de quebrar-se…” E você? Sim, eu sei, já se quebrou. Pode ser que está falido, partido, maltratado, humilhado, sem perspectiva… Mas há esperança. Basta se arrepender e voltar ao aprisco. Não permita que os outros te joguem no mar, pois poderá ocorrer que não haja a providencia de Deus para te socorrer. Evite a turbulência tanto no interior de sua vida quanto na vida daqueles que estão ao teu lado!

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook