“Pois zelamos do que é honesto, não só diante do Senhor, mas também diante dos homens” (2 Coríntios 8.21).

Fazer o que é correto, honesto por zelo parece que desperta em muitas pessoas um sentimento de ira e inveja. Fazer as coisas corretamente parece destoar do que muita gente costuma realizar como sendo o certo. Chama-se ético o proceder de modo honesto. A ética é uma disciplina filosófica que trata de questões concernentes às ideias morais, às normas de conduta humana, porém, vem sendo esquecida por muitos. Palavra de origem grega, a ética se prende aos costumes, às práticas aprovadas por uma cultura e se relaciona com o caráter das pessoas, fazendo com que elas vivam orientadas por uma consciência e um pensamento puro e correto. Diferentemente da moral que procura alicerçar-se na obediência a normas, a costumes e a mandamentos religiosos. A igreja de Cristo não pode deixar de lado os princípios contidos na ética cristã, pois são fundamentais para exercermos, perante o mundo, a nossa crença, o nosso amor por Jesus Cristo e o nosso compromisso com o Evangelho que abraçamos quando nos convertemos. Ética e moral são quase inseparáveis. Às vezes se encontram dificuldades em separar uma da outra. A primeira nasceu com o homem que possui a consciência moral a qual o capacita a fazer a diferença entre o bem e o mal no ambiente em que vive. A ética cristã, fundamental para a vida cristã, está plantada na Bíblia e é por meio do exercício dela que o cristão aprimora seu testemunho diante de Deus e dos homens. Ela ajuda o salvo em Cristo a mostrar e defender seus valores e a cumprir com seus deveres dentro de um prisma de retidão e honestidade consoante o que Deus preconizou em sua Palavra. Ser ético não é ser crente. Ser crente requer a observância linear dos ensinamentos éticos deixados pelo Mestre a todos quantos nEle creem. As Escrituras Sagradas ensinam o cidadão do céu a ser ético e zeloso por tudo que é honesto. Paulo, escrevendo aos Gálatas, diz: “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer, porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção, mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna. E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido. Então, enquanto temos tempo, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé” (Gálatas 6.7-10). Quando se contraria os preceitos éticos cristãos, automaticamente se paga um preço. É a lei da semeadura: “… o que o homem semear, isso também ceifará”. Ser ético não é ser santo, mas o santo em Cristo deve observar o caminho da ética, principalmente, da cristã. O apóstolo Paulo, ao orientar seu filho na fé, Timóteo, assim se expressou: “Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão” (1 Timóteo 6.11). É preciso que o cristão fuja “destas coisas”, ou melhor, de tudo o que não é ético, de tudo que não é perfeitamente correto, honesto, transparente. Você quer ser uma bênção nas mãos de Deus? Então, é só fazer o que é certo e pronto!