Aprendendo lições de vida com Marta, irmã de Lázaro

“Marta, porém, andava distraída em muitos serviços; e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe que me ajude. E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária.” (Lucas 10.40,41).

 Segundo o registro bíblico, Marta era generosa para com Jesus e tinha o domínio das tarefas de casa. Enquanto, sua irmã Maria não se preocupou em preparar um lanche para Jesus Cristo, ela mais que depressa tentou dá uma arrumação rápida na casa e preparar algo que pudesse alimentar a Jesus Cristo que estava ali visitando a sua família. Jesus era amigo de Lázaro. Jesus amava a Lázaro. Na visão de Jesus, nosso Salvador, há momentos que não podemos desprezar a Palavra de Deus. Aquele momento de Cristo na casa de seus amigos era ímpar, e o que Ele queria é que elas aproveitassem bem os seus conselhos, sua orientação e esclarecimentos sobre o Plano de Salvação, pois, se tratava de ensinamentos que lhes valeriam a vida Eterna, pois o Senhor amava aquela família: “Ora, Jesus amava a Marta, e a sua irmã, e a Lázaro.” (João 11.5). Com Marta aprendemos inúmeras lições, as quais precisamos evitar em nossa caminhada cristã, tais como: ela preferiu as tarefas do lar e os afazeres domésticos do que participar daquele culto tão espiritual dirigido por Jesus; ela não teve paciência para esperar o Senhor Jesus ir até a sua casa, mas saiu desesperada, assim que soube que Ele estava na aldeia de Betânia, a fim de dizer ao Mestre que se Ele estivesse em sua casa quando a enfermidade de seu irmão agravou-se, Lazáro não teria morrido: “E muitos dos judeus tinham ido consolar a Marta e a Maria, acerca de seu irmão.” (João 11.19); “Disse, pois, Marta a Jesus: Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido.” (João 11.21). Marta não conhecia bem o Mestre de Nazaré. O Senhor Jesus Cristo era simplesmente a “ressurreição e vida”. Ela não imaginava o que seria o poder de Cristo, pois no momento em que deveria ter adquirido fé e esperança, preferiu cuidar das coisas materiais, enquanto, sua irmão Maria, nem se quer se abalou quando soube da chegada de Jesus em Betânia, preferindo aguardar o desenrolar dos fatos, pois ela tinha certeza que o Senhor seria capaz até mesmo de ressuscitar seu irmão Lázaro, optou em ficar em casa: “Ouvindo, pois, Marta que Jesus vinha, saiu-lhe ao encontro; Maria, porém, ficou assentada em casa.” (João 11.20). É muito bom quando ouvimos Deus e atentamos para a sua Palavra. Quantos cultos alguns deixam de participar por simples desinteresse, ou envolvimento com algo que poderia ser deixado de lado, ou postergado para outro dia, mas infelizmente, vivemos uma vida agitada e não nos esforçamos para está na casa de Deus e participar dos trabalhos da igreja. Se não houver um sacrifício e uma valorização e um amor profundo no coração por tudo que Cristo fez por nós na cruz, não alcançamos as bênçãos. Mesmo depois de todos esses fatos edificantes, em outro momento na casa de Lázaro, que havia ressuscitado, lá estava Marta servindo e pouco ouvindo a Jesus: “Fizeram-lhe, pois, ali uma ceia, e Marta servia, e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele.” (João 12.2). Se Jesus tivesse ouvido a Marta, e olhado para a dificuldade que ela externou, de que defunto já cheirava mal, não teria havido o milagre, porém, Jesus não deu ouvido as palavras de incredulidade e realizou o grande milagre da ressurreição: “E, tendo dito isto, clamou com grande voz: Lázaro, sai para fora. E o defunto saiu, tendo as mãos e os pés ligados com faixas, e o seu rosto envolto num lenço. Disse-lhes Jesus: Desligai-o, e deixai-o ir.” (João 11.43,44). Seja mais aplicado às coisas do Senhor!

Aprendendo lições de vida com Marta, irmã de Lázaro

“Marta, porém, andava distraída em muitos serviços; e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe que me ajude. E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária.” (Lucas 10.40,41).

 Segundo o registro bíblico, Marta era generosa para com Jesus e tinha o domínio das tarefas de casa. Enquanto, sua irmã Maria não se preocupou em preparar um lanche para Jesus Cristo, ela mais que depressa tentou dá uma arrumação rápida na casa e preparar algo que pudesse alimentar a Jesus Cristo que estava ali visitando a sua família. Jesus era amigo de Lázaro. Jesus amava a Lázaro. Na visão de Jesus, nosso Salvador, há momentos que não podemos desprezar a Palavra de Deus. Aquele momento de Cristo na casa de seus amigos era ímpar, e o que Ele queria é que elas aproveitassem bem os seus conselhos, sua orientação e esclarecimentos sobre o Plano de Salvação, pois, se tratava de ensinamentos que lhes valeriam a vida Eterna, pois o Senhor amava aquela família: “Ora, Jesus amava a Marta, e a sua irmã, e a Lázaro.” (João 11.5). Com Marta aprendemos inúmeras lições, as quais precisamos evitar em nossa caminhada cristã, tais como: ela preferiu as tarefas do lar e os afazeres domésticos do que participar daquele culto tão espiritual dirigido por Jesus; ela não teve paciência para esperar o Senhor Jesus ir até a sua casa, mas saiu desesperada, assim que soube que Ele estava na aldeia de Betânia, a fim de dizer ao Mestre que se Ele estivesse em sua casa quando a enfermidade de seu irmão agravou-se, Lazáro não teria morrido: “E muitos dos judeus tinham ido consolar a Marta e a Maria, acerca de seu irmão.” (João 11.19); “Disse, pois, Marta a Jesus: Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido.” (João 11.21). Marta não conhecia bem o Mestre de Nazaré. O Senhor Jesus Cristo era simplesmente a “ressurreição e vida”. Ela não imaginava o que seria o poder de Cristo, pois no momento em que deveria ter adquirido fé e esperança, preferiu cuidar das coisas materiais, enquanto, sua irmão Maria, nem se quer se abalou quando soube da chegada de Jesus em Betânia, preferindo aguardar o desenrolar dos fatos, pois ela tinha certeza que o Senhor seria capaz até mesmo de ressuscitar seu irmão Lázaro, optou em ficar em casa: “Ouvindo, pois, Marta que Jesus vinha, saiu-lhe ao encontro; Maria, porém, ficou assentada em casa.” (João 11.20). É muito bom quando ouvimos Deus e atentamos para a sua Palavra. Quantos cultos alguns deixam de participar por simples desinteresse, ou envolvimento com algo que poderia ser deixado de lado, ou postergado para outro dia, mas infelizmente, vivemos uma vida agitada e não nos esforçamos para está na casa de Deus e participar dos trabalhos da igreja. Se não houver um sacrifício e uma valorização e um amor profundo no coração por tudo que Cristo fez por nós na cruz, não alcançamos as bênçãos. Mesmo depois de todos esses fatos edificantes, em outro momento na casa de Lázaro, que havia ressuscitado, lá estava Marta servindo e pouco ouvindo a Jesus: “Fizeram-lhe, pois, ali uma ceia, e Marta servia, e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele.” (João 12.2). Se Jesus tivesse ouvido a Marta, e olhado para a dificuldade que ela externou, de que defunto já cheirava mal, não teria havido o milagre, porém, Jesus não deu ouvido as palavras de incredulidade e realizou o grande milagre da ressurreição: “E, tendo dito isto, clamou com grande voz: Lázaro, sai para fora. E o defunto saiu, tendo as mãos e os pés ligados com faixas, e o seu rosto envolto num lenço. Disse-lhes Jesus: Desligai-o, e deixai-o ir.” (João 11.43,44). Seja mais aplicado às coisas do Senhor!

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook