Quem está cuidando de sua vinha?

“Apanhai-me as raposas, as raposinhas, que devastam os vinhedos, porque as nossas vinhas estão em flor.” (Cantares 2.15).

Muito me preocupa quando contemplo a igreja, ou alguns pastores que a representam e dela fazem parte, contenderem com o Estado, ou com o sistema político falido e dominado pelas hostes satânicas. A igreja não foi criada para guerrear contra os sistemas do mundo, mas vencê-los através da oração, do jejum e da pregação do Evangelho de Cristo. Agora, se não há uma mobilização para este fim, então, usa-se o recurso que não é tão eficaz, o argumento. Há batalhas que não temos que batalhar, pois elas são exclusivas do Espírito Santo, do Senhor Deus, e a Ele compete essa vitória, enquanto a Igreja de Cristo deve permanecer em oração e não em digladiação que não leva a nada, usando para isso o famoso “direito de resposta”. A igreja a que me refiro sou eu e você que fomos alcançados pelo sangue glorioso de Cristo. Quando leio esse versículo cada vez mais me preocupa a displicência de alguns que não tem quem cuide de suas vinhas, ou seja, de sua vidas, e os tais estão sem cobertura espiritual nenhuma, porquanto, abandonaram ao Senhor. Saiba que somos o jardim do Senhor e não podemos de ter a Cristo como nosso verdadeiro jardineiro. As raposinhas representam toda e qualquer ameaça externa ao crescimento da vinha. Se estas não derem flores, logo, não haverá frutos e não se chegará ao vinho, símbolo da alegria. As raposinhas destroem os vinhedos e com isso as flores não chegarão nunca a produzirem frutos. A nossa vida é comparada a essa cena de Cantares. Quantas ameaças o cristão sofre diariamente. O próprio sistema político tem sido um oponente cruel, porquanto, está a cada dia elaborando leis para prejudicar a marcha da igreja de Cristo. Quando as leis votadas no Congresso prejudicam as famílias e a sociedade, de um modo geral, direta ou indiretamente afetam a igreja. Uma sociedade pervertida, voltada exclusivamente para a sensualidade e a corrupção generalizada acabam interferindo no crescimento e no ensino eficaz da igreja, o qual seria capazes de resgatar os valores éticos e morais do homem, levando ao conhecimento de Deus. A cultura tem uma força gigante e ela pode arrastar a muitos para a prática perniciosa, a qual só contribui para desagradar a Deus. A igreja não pode e não deve seguir modelos apresentados pela sociedade moderna, a qual não está afinada com Deus. Infelizmente, muitos se deixaram levar pela força do capitalismo, obviamente, na busca desenfreada pelo sucesso e status social, o resultado tem sido desastroso, pois acabam abandonando a fé. Quando os cônjuges não cuidam de suas vinhas, a família, certamente, poderá a se desmoronar, e o sofrimento será inevitável. As rapozinhas destroem as flores nos vinhedos e as uvas não nascem, e a consequência será a falta do vinho, símbolo da alegria. “A vinha, porém, que me pertence, não a guardei” (Ct 1.6). Ai está a fragilidade do lar, da família, dos cônjuges que não lutaram para proteger a vinha, neste particular, a família. A raposinha moderna, chamada de mídia está difundindo inverdades, e proferindo mentiras e disparam dardos untados de venenos erotizantes, onde, nada é pecado. Estes dias evangélicos discutiam na TV a libertinagem sexual, e afirmavam que como crente pode fazer qualquer coisa, pois terão a aprovação de Deus. Isso é um absurdo. As raposinhas estão soltas, cuidado! Quem deseja encontrar-se um dia com Deus deve se preservar em santidade. Sem santificação, ninguém verá a Deus, diz o texto bíblico. A raposinha chamada mídia, é PHD em infidelidade, e através dos programas televisivos, telenovelas e filmes Hollywoodianos, acabam incutindo na mente dos telespectadores que a infidelidade é uma coisa normal e boa. Cuidado com essa raposinha. “Levantemo-nos de manhã para ir às vinhas, vejamos se florescem as vides, se já aparecem as tenras uvas, se já brotam as romãzeiras; ali te darei os meus amores.” (Ct 7.12). O texto exalta a fidelidade. Não permita que a infidelidade macule a sua alma e a sua relação conjugal. Quem está cuidando de sua vinha? Aproveite esta reflexão para por em ordem a tua casa!

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook