Quase crente!

“… Se queres, porém, entrar na vida eterna, guarda os mandamentos. Disse-lhe ele: Quais? E Jesus disse: Não matarás, não cometerás adultério, não furtarás, não dirás falso testemunho; Honra teu pai e tua mãe, e amarás o teu próximo como a ti mesmo. Disse-lhe o jovem: Tudo isso tenho guardado desde a minha mocidade; que me falta ainda? Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, e segue-me. E o jovem, ouvindo esta palavra, retirou-se triste, porque possuía muitas propriedades.” (Mateus 19.17-22).

O “quase” tem sido uma “pedra de tropeço” na vida de alguns cristãos. Não sei em que ano, mas lembro-me do fato: assistia eu, uma maratona, e quem estava em primeiro lugar era um brasileiro. Ele corria tranquilo, pois faltavam-lhe cerca de no máximo 1 kilômetro para cruzar a linha de chegada e o segundo colocado não o alcançaria jamais, caso ele mantivesse o ritmo que empreendia. Muitas pessoas já comemoravam a sua vitória e quem assistia pela TV ou pessoalmente podia gritar aliviado e feliz: já ganhou, é campeão…, etc. Faltando-lhe menos de 200 metros, surgiu um homem na pista que atrapalhou a corrida do brasileiro e ainda o empurrou para cima do público. Até ele se recompor e voltar para a pista novamente, o segundo colocado ultrapassou-o e venceu a corrida. Ou seja, quase que ele venceu. Quase que ele cruzou a linha de chegada. Quase que a medalha de ouro seria conquistada por ele. O “quase” é sempre uma incógnita na vida de muita gente. Alguns, até o tem no vocabulário diário: “quase que fui aprovado”, “quase que o emprego seria meu”, quase consegui atingir…”, “quase que a bênção seria minha, mas…”. O jovem rico, “quase”, foi alcançado pela bênção da salvação. Jesus ouviu atentamente a sua pergunta: “… disse-lhe: Bom Mestre, que bem farei, pra conseguir a vida eterna?” (Mt 19.16). Jesus sabia perfeitamente que ele iria mentir no passo seguinte, dizendo a Jesus que era um cumpridor da lei de Moisés, desde criança. Jesus tinha a plena convicção de que aquele jovem rico tinha muito amor pelos seus bens materiais e tocou em uma de suas feridas, de modo que ele se entristeceu muito e não mais voltou para se encontrar com Cristo. Quase que ele foi alcançado pela bênção da salvação! Assim como esse jovem da parábola, há muita gente que se utiliza do “quase” para granjear a liberdade nesta terra, porém, por causa do “quase”, estão presos aos grilhões do pecado e não conseguem se desvencilhar pelos seus próprios meios e assim sendo já se acostumaram com o “quase salvo”, “quase crente” e não dão ouvido ao que o Espírito lhe diz: “Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu; Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas.” (Ap 3.17,18). Seja crente e não “quase crente!

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook