No auge da amargura (Extraído do volume V, da coleção Nas Asas do Espírito, de autoria do pastor Orcélio)

“E subiu Davi pela subida das Oliveiras, subindo e chorando, e com a cabeça coberta, e caminhava com os pés descalços; e todo o povo que ia com ele cobria cada um a sua cabeça, e subiam chorando sem cessar” (2 Samuel 15.30).

A amargura é uma tristeza conhecida e experimentada por muitas pessoas. Somente quem viveu um momento desses é que tem condições realmente de expressar seu testemunho. A Bíblia enumera muitos homens e mulheres de Deus que passaram por esse vale de aflição. O patriarca Jó, talvez tenha sido o que mais tristeza suportou. Os profetas Elias e Jeremias também atravessaram esse vale. Em Lamentações, diz o profeta Jeremias: “Eu sou aquele homem que viu a aflição pela vara do seu furor. Ele me guiou e me fez andar em trevas e não na luz. Deveras fez virar e revirar a sua mão contra mim o dia todo. Fez envelhecer a minha carne e a minha pele, e quebrou os meus ossos. Edificou contra mim, e me cercou de fel e trabalho. Assentou-me em lugares tenebrosos, como os que estavam mortos há muito. Cercou-me de uma sebe, e não posso sair; agravou os meus grilhões. Ainda quando clamo e grito, ele exclui a minha oração. Fechou os meus caminhos com pedras lavradas, fez tortuosas as minhas veredas. Fez-me como urso de emboscada, um leão em esconderijos. Desviou os meus caminhos, e fez-me em pedaços; deixou-me assolado. Armou o seu arco, e me pôs como alvo à flecha. Fez entrar nos meus rins as flechas da sua aljava. Fui feito um objeto de escárnio para todo o meu povo, e a sua canção todo o dia. Fartou-me de amarguras, embriagou-me de absinto. Quebrou com cascalho os meus dentes, abaixou-me na cinza. E afastaste da paz a minha alma; esqueci-me do bem” (Lamentações 3.1-17 – grifo do autor). O profeta foi marcado por uma grande angústia, uma profunda amargura. E você está se sentido neste estado? Confie em Deus! Muitas famílias nos tempos de Jeremias foram dizimadas pelos inimigos do povo de Deus. Ali prevalecia a espada, o arco e a lança. Hoje, entretanto, são as mensagens, os exemplos negativos, as condutas dissociadas dos padrões bíblicos que estão trazendo amarguras a muitos pais de família. Eles, com profunda tristeza, estão contemplando seus filhos mergulharem num rio caudaloso e sujo de perdição e pecado. Eles estão sendo atirados no leito das mazelas de uma sociedade que perdeu o caminho da retidão, da salvação, e enterrou os padrões éticos nas profundas covas desta vida. A mídia perversa e sem alma se orquestra para banir, de uma vez por todas, o conceito de família que sempre foi preservado pelos simples e sábios cidadãos de nossa pátria amada. A família tem sido a instituição que mais tem sofrido com os ataques de Satanás nestes últimos séculos. Enquanto Deus tem procurado preservar a família, Satanás, inimigo número um do povo de Deus, tudo tem feito para destruí-la, trazendo-lhe amarguras e dissensões entre seus membros, com o propósito de extingui-la por completo e, com isso, atingir a Igreja de Cristo, que é formada de famílias compromissadas com a verdade e que buscam, em Cristo, a felicidade e a paz não apenas na terra. Davi sentiu profunda amargura pelos sucessivos fatos negativos que atingiram o seio de sua família. É bem verdade que ele próprio foi o causador de inúmeros deles e sua tristeza foi uma constante. No Salmo 51, ele canta a sua angústia: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto. Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito Santo. Torna a dar-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário. Então ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores a ti se converterão” (Salmo 51.10-13). Houve morte entre seus filhos, incesto entre eles, perseguição de Absalão, seu filho, para lhe tomar a coroa real. Enfim, foram inúmeros os problemas ocorridos na família de Davi. Caso você esteja se sentindo no auge da amargura, lembre-se de que existe um Cristo que consola e enche de felicidades. Ele mesmo disse: “Todas as coisas me foram entregues por meu Pai, e ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar. Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve” (Mateus 11.27-30). Deixe Cristo invadir seu coração e lançar fora toda a amargura e tristeza de sua alma!

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook