“E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.” (2 Coríntios 5.15).

É bom para o cristão pensar assim, se sentir assim e assumir que não tem vida própria, mas a partir de sua conversão ao Evangelho, quem nele habita, dirige os pensamentos e o orienta é o Espírito Santo, ou seja, ele não tem mais o domínio total de sua vida, pois Cristo nele fez morada. O apóstolo Paulo disse as igrejas da galácia: “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.” (Gl 2.20). Quem toma a decisão de viver com Cristo e ser participante de suas aflições vivendo o verdadeiro Evangelho e dele desfrutar das bênçãos celestiais, encontrará pela frente barreiras, porém, em todas elas poderá ser mais do que vencedor, bastando tão somente optar por levar uma vida de oração, submissão a Cristo e obedecer piamente a vontade de Deus. Todo cristão é considerado na Bíblia como sendo a carta de Cristo e ela está endereçada ao mundo, porquanto, este precisa saber das novidades do Evangelho e na carta está escrito sobre ele, visto que o testemunho de cada crente deve ser como um espelho para aqueles que estão distantes de Deus. Paulo disse: “Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração.” (2 Co 3.3). Quem deseja ser usado pelo Espírito Santo e se tornar um vaso nas mãos de Deus não pode ter vida própria. Deus quando chama o homem para realizar nele uma grande obra e transformá-lo num de seus mensageiros, este perderá sem dúvida a sua liberdade. Não se pode fazer qualquer coisa que se quer fazer, mas o escolhido deve se submeter à vontade do Senhor e, estar pronto para seguir Suas orientações. A certeza de que estou no caminho certo e fazendo a vontade do Senhor é quando perco a minha liberdade ao aceitar Jesus, ou melhor, quando não tenho mais vida própria! “Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho” (Fp 1.21).

“E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.” (2 Coríntios 5.15).

É bom para o cristão pensar assim, se sentir assim e assumir que não tem vida própria, mas a partir de sua conversão ao Evangelho, quem nele habita, dirige os pensamentos e o orienta é o Espírito Santo, ou seja, ele não tem mais o domínio total de sua vida, pois Cristo nele fez morada. O apóstolo Paulo disse as igrejas da galácia: “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.” (Gl 2.20). Quem toma a decisão de viver com Cristo e ser participante de suas aflições vivendo o verdadeiro Evangelho e dele desfrutar das bênçãos celestiais, encontrará pela frente barreiras, porém, em todas elas poderá ser mais do que vencedor, bastando tão somente optar por levar uma vida de oração, submissão a Cristo e obedecer piamente a vontade de Deus. Todo cristão é considerado na Bíblia como sendo a carta de Cristo e ela está endereçada ao mundo, porquanto, este precisa saber das novidades do Evangelho e na carta está escrito sobre ele, visto que o testemunho de cada crente deve ser como um espelho para aqueles que estão distantes de Deus. Paulo disse: “Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração.” (2 Co 3.3). Quem deseja ser usado pelo Espírito Santo e se tornar um vaso nas mãos de Deus não pode ter vida própria. Deus quando chama o homem para realizar nele uma grande obra e transformá-lo num de seus mensageiros, este perderá sem dúvida a sua liberdade. Não se pode fazer qualquer coisa que se quer fazer, mas o escolhido deve se submeter à vontade do Senhor e, estar pronto para seguir Suas orientações. A certeza de que estou no caminho certo e fazendo a vontade do Senhor é quando perco a minha liberdade ao aceitar Jesus, ou melhor, quando não tenho mais vida própria! “Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho” (Fp 1.21).