Escolha certa é uma bênção, um bálsamo para a alma (Extraído da Coleção Nas Asas do Espírito, de autoria do pastor Orcélio).

“Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao Senhor, escolhei hoje a quem sirvais; se aos deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além do rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa (escolhemos) serviremos ao Senhor” (Josué 24.15).

Falar sobre ESCOLHA não é tão fácil assim, porém, com a ajuda do Espírito Santo, tudo fica mais claro e objetivo. Jesus certa vez disse aos seus discípulos: “Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades, e deis fruto, e o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vos conceda” (João 15.16). A passagem bíblica de João, o evangelista, nos faz entender uma realidade: o cristão precisa dar frutos. Abre, também, o nosso entendimento para absorver inúmeras lições espirituais, porquanto a metáfora da videira tem uma lição fundamental: o cristão precisa dar frutos e neles crescer. O cristão deve produzir frutos e neles crescer: dar frutos – “Toda a vara em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto” (João 15.2). Mais frutos “ … dê mais fruto” (João 15.2).  Muitos frutos “Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos” (João 15.8) e frutos que permaneçam – “Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda” (João 15.16). Essa exigência de produzir frutos, mais frutos e muitos frutos é para os escolhidos, ou seja, os que aceitaram a Cristo como Senhor e Salvador de suas vidas. Porquanto, quem não assim procede é porque não tem valorizado a escolha de Jesus Cristo, chamando-lhe para uma grande obra. Valorize o chamado de Cristo e crumpra o IDE do Salvador! O verdadeiro discípulo de Jesus é aquele que permanece firme na videira verdadeira, Cristo e, também, produz muitos frutos. Isso é prova de nosso amor por Ele: “Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim” (João 15.4). Aleluia! Que escolhas você tem feito em sua vida? Jesus, ao fazer essa escolha, nos chama para sermos seus amigos: “Já não vos chamei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor, mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer” (João 15.15). É muito bom ser amigo de Jesus. Será que Ele é seu amigo? Eu traduzo a escolha certa como sendo uma boa escolha. Há dois tipos de escolhas que o homem pode fazer: a certa e a errada. Quem quer ter êxito em suas escolhas, o primeiro passo é aceitar a Cristo como Salvador. Através desta aceitação, o homem passa a ser orientado pelo Espírito Santo. As nossas escolhas, a partir de então, não serão mais feitas de qualquer maneira, porém, segundo a vontade do Senhor. Quem não procede assim é porque gosta de tomar decisões segundo o curso do coração (decisões erradas) e, por isso, não é bem sucedido em seus projetos de vida. Cuidado! Uma escolha errada pode trazer problemas de todas as ordens e, às vezes, para o resto da vida. Quando Deus criou o homem ele o capacitou para fazer escolhas e tomar decisões. Ele deu ao homem o livre arbítrio. Desde que Deus livrou os filhos de Israel do jugo de faraó, passaram-se cerca de duas gerações. Somente dois homens haviam sobrevivido para contar a história vitoriosa dos patriarcas às gerações futuras: Josué e Calebe. Josué e Calebe foram os únicos que acreditaram que Deus seria capaz de cumprir a promessa que fizera a Abraão, Isaque e Jacó. A terra prometida para ser conquistada só dependeria de escolhas certas. Eles escolheram lutar pela posse da terra prometida a Abraão, Isaque e a Jacó. Eles criam que Deus era capaz de derrotar os seus inimigos, que não existiam cidades fortes diante do poder de Deus. Não havia gigantes incircuncisos que Ele, o Senhor, não jogasse por terra. Calebe, em seu relato a Josué, disse: “… eis que o Senhor me conservou em vida, como disse; quarenta e cinco anos há agora, desde que o Senhor falou esta palavra a Moisés, andando Israel ainda no deserto, e, agora, eis que já hoje sou da idade de oitenta e cinco anos. E, ainda, hoje, estou tão forte como no dia em que Moisé me enviou, qual a minha força então era, é agora a minha força, para a guerra, e para sair, e para entrar… e Josué o abençoou e deu a Calebe, filho de Jefoné, Hebrom em herança” (Josué 14.7-13). Josué, também, fez uma escolha certa, uma boa escolha. A nova geração de hebreus, liderada por ele, havia esquecido Deus, o Senhor das promessas. Eles haviam desprezado os grandes feitos do Senhor dos Exércitos – a peregrinação de seus pais no deserto, os milagres, o livramento que o Senhor Deus deu ao povo tirando-o do Egito… Tudo havia ficado para trás. A nova geração não se lembrava das grandes vitórias. Josué não se esqueceu de nada, mas tinha em mente todos os feitos do Senhor. Ele, cheio de fé e autoridade, dirige-se àquela geração rebelde e diz: “Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao Senhor, escolhei hoje a quem sirvais; se aos deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além do rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa (escolhemos) serviremos ao Senhor” (Josué 24.15-19). Que escolha maravilhosa, isso é um bálsamo para a alma. As escolhas podem definir o futuro de uma pessoa. É nessas horas que devemos recorrer ao Senhor e buscar orientação do Espírito Santo. Escolha certa é uma bênção, um bálsamo para a alma. Faça a sua escolha hoje!

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook