É preciso remar em um único sentido (Extraído do volume 1 da Coleção Nas Asas do Espírito, de autoria do pastor Orcélio).

“Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa, e que não haja entre vós dissensões; antes sejais unidos em um mesmo sentido e em um mesmo parecer” (I Co 1.10).

O apóstolo Paulo viu de perto o crescimento da igreja na cidade de Corinto. Não havia uma denominação formal para a igreja até então, ela era conhecida como a Igreja de Cristo ou ainda Igreja de Deus (I Co 1.1, Cl 1.24). Muitos grupos se lançaram na batalha da evangelização e, com o crescimento, vieram também os problemas, tanto de ordem social, ética e até mesmo espiritual. Os obreiros deixaram de lado os ensinamentos bíblicos sobre a união e começaram a se envolver em contendas, de modo que trouxe escândalo à obra de Deus ali. A Igreja, embora vista como um só corpo, o corpo de Cristo, não conseguia ver, evidenciada, a união fraternal, característica dos salvos em Jesus, mas se presenciava a desunião entre todos os grupos evangélicos, pois falavam uns dos outros e criticavam uns aos outros, prejudicando, assim, o progresso da Igreja em todos os sentidos. O bem-estar de outrora – quando “era um o coração e a alma de todos e ninguém considerava exclusivamente sua nem uma das coisas que possuía; tudo, porém, lhes era comum” (At 4.32) – estava agora ameaçado e isso preocupava o varão de Tarso. Será que não estamos vivendo os mesmos momentos vividos nos dias de Paulo? Será que não nos preocupamos, demasiadamente, com aquilo que fazemos, de modo a colocarmos vendas nos olhos para não enxergar o trabalho dos outros? Será que esse ciúme doentio, ao ponto de atrapalhar nosso relacionamento e comunhão uns com os outros, não contribui para a autovalorização daquilo que fazemos ou produzimos? É necessário que se reflita com sabedoria sobre esses questionamentos. Nós não somos perfeitos nem muito menos eternos. Precisamos passar nossas experiências, fazer discípulos, manter bem evidente a nossa relação horizontal, sabendo que o mundo dá muitas voltas e que sozinhos não vamos muito longe. O ser social precisa de interação, de estreitar os seus laços de amizade a fim de que possa ser unido em um mesmo sentido, tendo um mesmo parecer e falar a mesma linguagem (I Co 1.10 e 4.6).

 

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook