O destino do crente é o céu!

“Porque sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos de Deus um edifício, uma casa não feita por mãos, eterna, nos céus.
E por isso também gememos, desejando ser revestidos da nossa habitação, que é do céu.” (2 coríntios 5.1-2).

A nossa esperança é preciosa, consoladora e capaz de alentar o mais triste coração, porquanto, cremos no Senhor Jesus Cristo e nele somos consolados, todavia o Espírito Santo é o grande Consolador de nossas almas. Em meio a tantas tristezas que, algumas vezes, se instalam no seio da comunidade cristã, movidas por fatos e acontecimentos inesperados, ou mesmo aguardados, em todo o caso somos uma família, e temos sentimentos e nos envolvemos e choramos com os que choram e nos alegramos com os que se alegram. Constantemente, vemos alguns tabernáculos se desfazendo nesta terra, sejam eles de crianças, jovens ou adultos, e sentimos por eles, visto que somos humanos e temos um forte sentimento de afeição pelo nosso semelhante, porém, por maior que seja a dor pela separação, brota das profundezas do coração outro sentimento, o de alegria, por saber que o tabernáculo foi desfeito aqui na terra, mas a garantia da eternidade, no céu com Deus já foi preparada, visto que um dia Jesus Cristo morreu por todos nós, a fim de que tivéssemos vida e vida em abundância. Os que partem deixam saudades, porém, uma vez partindo com a bênção da salvação, certamente, melhor está do que os que aqui ficam neste mundo, aguardando um dia serem revestidos da habitação preparada por Cristo, ou seja, o corpo incorruptível, chamado de corpo espiritual: “Semeia-se corpo natural, ressuscitará corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual.” (1 Co 15.44). Quando Deus recolhe um ente querido é porque Deus tem verdadeiramente o controle da vida. Ele disse: “Todas as almas são minhas…”. Jó disse certa vez quando perdeu dez filhos de uma só vez: “…Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá; o Senhor o deu e o Senhor o tomou; bendito seja o nome do Senhor” (Jó 1.21). O capítulo um encerra-se dizendo que Jó não atribuiu a Deus falta alguma (versículo 22). Deus console os corações de todos quantos perderam neste dia um ente querido. Deus abençoe e dê força, graça e consolação a todos que, porventura, esteja sofrendo com a dor de uma partida. Amém!

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook