“Não vos lembreis das coisas passadas, nem considereis as antigas.” (Isaías 43.18).

Li certo dia uma frase que dizia: “Quando você começa a falar muito da glória passada é porque está tentando justificar a estagnação presente”. Isto é uma realidade. A Bíblia aconselha a não remoer as lembranças passadas e nem se quer considerar as antigas. Muitas coisas que ficaram para trás podem prejudicar o desenvolvimento espiritual presente, porquanto, é bom viver bem o dia de hoje e lutar para não perder a esperança de um futuro melhor e mais abençoado. Há muitos cristãos que num passado bem próximo tiveram um período de glória, foram bem ativos e cooperadores para com a obra e o crescimento do Reino de Deus, mas o tempo passou e hoje, encontram-se como aquelas harpas penduradas na cerca, não tocam mais: “Sobre os salgueiros que há no meio dela, penduramos as nossas harpas.” (Salmos 137.2). Nem tudo está perdido, enquanto há fôlego de vida, há esperança para se realizar um grande trabalho para Deus, basta tão somente nos apresentarmos a ele com fé e disposição para executar o que o Espírito Santo nos mandar. Calebe é um exemplo de quem triunfou porque não olhou para a idade, nem para as dificuldades estratégicas para se conquistar a terra de Hebrom, veja o que ele disse: “E agora eis que o Senhor me conservou em vida, como disse; quarenta e cinco anos são passados, desde que o Senhor falou esta palavra a Moisés, andando Israel ainda no deserto; e agora eis que hoje tenho já oitenta e cinco anos; E ainda hoje estou tão forte como no dia em que Moisés me enviou; qual era a minha força então, tal é agora a minha força, tanto para a guerra como para sair e entrar. Agora, pois, dá-me este monte de que o Senhor falou aquele dia; pois naquele dia tu ouviste que estavam ali os anaquins, e grandes e fortes cidades. Porventura o Senhor será comigo, para os expulsar, como o Senhor disse. E Josué o abençoou, e deu a Calebe, filho de Jefoné, a Hebrom em herança.” (Josué 14.10-13). Não adianta justificar, o NADA é uma realidade na vida de muitos servos e servas de Deus, porquanto, o poder pode ser grande, o avivamento e o despertamento ser uma realidade, os milagres uma constante na igreja, todavia, nada disso é suficiente para reconduzir a pessoa a sentir-se novamente motivada para o trabalho que Deus tem para ela. Estão estáticos, inertes, sem ânimo para enfrentarem o Agir de Deus em suas vidas. O que fazer? Somente você poderá iniciar o processo da renovação, observando o que está escrito: “…Desperta tu que dormes…”.