Não adianta espernear, se não conversar com Jesus, você perderá o rumo durante a travessia!

“E, navegando eles, adormeceu; e sobreveio uma tempestade de vento no lago, e enchiam-se de água, estando em perigo.” (Lucas 8.23).

Quando não temos mais palavras para dizer a Jesus, quando o mais importante são os amigos que o Mestre de Nazaré, quando a travessia não se constitui num aprendizado, numa prioridade para se absorver as verdades bíblicas, então, o melhor é deixar Jesus dormir. Jesus entrou no barco com seus discípulos e mandou que levassem o barco para o outro lado do lago, o lado oriental, onde é pouco habitado. Comparando a travessia com a nossa vida aqui na terra, sabemos que ela é passageira e curta, comparando com o tempo de vida de Abraão, Isaque, Jacó, Noé, Lameque, etc. Se o tempo é curto e temos a certeza que Jesus está em nosso barco, faz parte de nossa vida, então, vamos conversar mais com Ele. Os discípulos perderam uma grande oportunidade de explorar a capacidade, o conhecimento e os mistérios de Jesus. Eles não conversaram com Jesus durante a travessia e deixaram o Mestre dormir, e logo se depararam com a adversidade, a tempestade que assolou fortemente a embarcação. Quantas pessoas estão atravessando por alguma crise? Em quase todos os casos é quase certo que elas não tem conversado com Jesus no tempo da bonança. Não se chegam a Deus em oração e por isso estão desnorteadas, confusas e cheias de problemas. Uma vida de Oração faz a diferença. Os discípulos em vez de terem assunto para conversar com Cristo, preferiram deixá-lo dormir. Não deixe Jesus dormir, faça como a mulher que importunou o juiz até conseguir o que queria. Quantas coisas poderiam ter aprendido naquela travessia. A nossa travessia da terra para o céu também é curta. Nesta trajetória algumas tempestades infernizam a vida de muitos, não só prejudicando a estrutura física, como também a espiritual. Jesus quer que exercitemos a nossa fé. Não podemos ser homens e mulheres de pouca fé. É preciso vencer as batalhas, sem precisar chamar Cristo em auxílio. É preciso não deixar Cristo dormir durante a travessia, mas mantê-lo acordado dentro de nosso barco. Se a tempestade aparecer devemos com a força da nossa fé, repreendermos todo e qualquer vendaval, para isso Ele precisa está bem vivo e bem acordado dentro de cada um de nós. A vida de oração não é algo tão fácil, precisamos pedir para Ele nos ensinar a orar verdadeiramente: “…Senhor, ensina-nos a orar como também João ensinou aos seus discípulos.” (Lc 11. 1). Não há problema em assumirmos perante Deus que nossa vida de oração está naufragada ou mesmo que estamos enfrentando dificuldades. Saiba que não há nenhum problema em solicitar ajuda ao Senhor para que nos fortaleça para que aprendamos a ter uma vida de oração profunda. Faça isso! Leve ao Senhor o seu desejo de mudança e de transformação. Isso já é começar a ter uma vida de oração. Para se ter uma vida agradável de oração requer força de vontade. Se os discípulos de Jesus não tivessem vontade, certamente, nem chegariam a gastar tempo para pedir a ajuda de Jesus. Quem quer alcançar algo importante e vital para a sua vida vai atrás, vai buscar soluções, alternativas. Não fica se lamentando e se auto-enganando, pelo contrário, se concentra em buscar a melhora, custe o que custar. E o caminho para isso é o da oração. Não faça como os discípulos, deixaram Jesus dormir. Crie um hábito saudável e vigoroso em sua rotina devocional, ore frequentemente ao Senhor. Não espere a tempestade, o mar alto, as crises e os problemas se instalarem, o barco se encher de água para chamar pelo nome de Jesus. Se antecipe as dificuldades futuras, se prepare na hora da bonança, orando a tempo e a fora de tempo. Os discípulos de Jesus viram Nele o que não conseguiram ver nos mestres do seu tempo: o hábito da oração. Os líderes da época gostavam de fazer longas orações nas praças com o objetivo de serem famosos, mas Jesus fazia longas orações em secreto, retirando-se para lugares solitários e mostrando em atos o que aquilo representava. “Ele, porém, se retirava para lugares solitários e orava.” (Lc 5. 16). Não pense que para Jesus era fácil ter o hábito de oração; certamente, Ele enfrentou momentos difíceis para manter Seu hábito de oração. Tudo que nos conecta a Deus nos desconecta do diabo, da carne e do mundo, e eles não ficam felizes e parados com essa situação. Lutam fortemente para que você volte à velha vida e abandone de vez a oração, tão necessária ao fortalecimento e edificação espiritual. As forças contrárias, que lutam contra a Igreja do Senhor Jesus, buscam que voltemos ao erro de não termos comunhão com Deus. Mas nenhum obstáculo pode nos vencer se nós estivermos firmados no propósito de ter uma vida constante de oração.  Seu propósito é bastante firme para atropelar todas as dificuldades e manter o hábito da oração? Continue lutando, tentando e se exercitando para viver em constante oração. Não há nada mais prazeroso do que você falar com Deus e ouvir a confirmação no profundo do seu coração. Pode-se conversar de tudo com Deus, colocar seus medos, suas dores, dificuldades. Pode se pedir coisas, agradecer, interceder pelo próximo, louvar. A vida de oração é tão deliciosa que depois que você entra de cabeça nela, se pergunta: Por que não fiz esse esforço de ser uma pessoa de oração antes? Faça seu investimento e comprove!  Se você está com a sua vida de oração “capenga”, então tome uma postura, pois a tempestade está sendo formada e o melhor é conversar com Cristo durante a travessia.

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook