“Para sempre, ó Senhor, a Tua Palavra permanece no céu” (Salmos 119.89).

Vivemos rodeados de livros que nos instruem, ensinam e nos fazem felizes, porém, entre todos eles a Bíblia é o livro por excelência, pois somente nele encontramos o caminho da salvação, visto que nele se fala do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Foi Deus quem ordenou que se escrevesse o livro dos livros: “Toma o rolo de um livro, e escreve nele todas as palavras que te tenho falado de Israel, e de Judá, e de todas as nações, desde o dia em que eu te falei, desde os dias de Josias até ao dia de hoje” (Jr 36.2). O homem precisa valorizar a Bíblia, pois é dela que emanam as orientações de Deus para o ser criado encontrar o caminho de volta para casa, o lar celestial, o céu. Hoje, há uma luta muito grande para se apagar do coração das gerações mais novas os valores e as riquezas espirituais contidas na Bíblia. Lutam até para tirá-la das bibliotecas, das escolas e de repartições públicas. Há até quem apoie a destruição total das Escrituras, mas o que nós temos aqui na terra é somente a cópia, pois ela permanece para sempre no céu, com Deus. Todo o homem de bem sente a necessidade de conhecer o conteúdo da Bíblia. É importante conhecermos as Escrituras, pois nela se encontra o caminho para a vida eterna com Cristo e também teremos condições de apontar o caminho para outros que estejam interessados: “E qual é aquele que vos fará mal, se fordes seguidores do bem?
Mas também, se padecerdes por amor da justiça, sois bemaventurados. E não temais com medo deles, nem vos turbeis; Antes, santificai ao Senhor Deus em vossos corações; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós.” (1 Pe 3.13-15). Só tem a lucrar quem sente o desejo de ler e meditar na Bíblia, porquanto, o efeito do conhecimento da Palavra de Deus só traz benefícios para a alma: “Porque, assim como desce a chuva e a neve dos céus, e para lá não tornam, mas regam a terra, e a fazem produzir, e brotar, e dar semente ao semeador, e pão ao que come,
Assim será a minha palavra, que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei. Porque com alegria saireis, e em paz sereis guiados; os montes e os outeiros romperão em cântico diante de vós, e todas as árvores do campo baterão palmas. Em lugar do espinheiro crescerá a faia, e em lugar da sarça crescerá a murta; o que será para o Senhor por nome, e por sinal eterno, que nunca se apagará. “(Isaías 55.10-13). A Bíblia não foi dada ao homem por um acaso. Deus tinha um propósito santo e maravilhoso. Ele queria que o ser criado conhecesse os mistérios revelados; tomasse conhecimento do plano de salvação e não morresse sem o conhecimento das verdades divinas. “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (João 8.32). A Bíblia tem uma finalidade principal: levar o homem de volta ao seio de Deus, a vida Eterna: “Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram. Jesus, pois, operou também em presença de seus discípulos muitos outros sinais, que não estão escritos neste livro. Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome.” (João 20.29-31). A Bíblia é o maná dos céus. Um livro por Excelência, a Bíblia Sagrada.