“Se te mostras fraco no dia da angústia, a tua força é pequena” (Provérbios 24.10).

Todo cristão precisa acreditar que a vitória é nossa por Jesus Cristo! Precisa também se conscientizar que Jesus Cristo, conquistou na cruz a maior vitória, a qual nos coloca como mais que vencedor nesse mundo perdido e sem Deus. Jesus com Sua morte e ressurreição, abriu a porta da salvação e do perdão para todos, logo, abriu o caminho da vitória e consequentemente deu a cada crente a chave para o despertamento espiritual e mais, Com Ele está a chave para a solução de todos os problemas, bastando somente buscarmos a sua presença em espírito e em verdade. Inúmeras passagens bíblicas retratam episódios que comove o crente a se despertar e continuar na batalha pela causa do Evangelho do Senhor Jesus. Jamais o cristão pode se mostrar fraco ou frouxo na hora da adversidade, mas procurar ser um servo ousado, corajoso, intrépido e destemido, de modo que o Espírito Santo sinta-se feliz em lhe usar poderosamente. E essa ousadia que impulsiona a todo cristão a fazer missões, pois se trata do alvo maior da Igreja de Cristo. Missões, deve está no coração de todo aquele que crer no Senhor Jesus Cristo, pois, missões está no coração e nos propósitos de Deus. Salomão, entre muitos outros personagens bíblicos, foi um homem de grande ousadia. Sua coragem para levar à frente a construção do Templo serve de exemplo a todos os que batalham pela fé em Cristo. Não se tratava de uma construção comum, mas de um local para adoração ao Senhor. O rei de Israel pediu doações e mobilizou os artífices, os carpinteiros, etc, e o povo unanimemente atendeu, e com isso Deus alegrou e abençoou Salomão e ao povo de Israel ricamente. Agindo assim é, também, uma forma de se fazer missões, ampliar as tendas para adoração ao Senhor da glória. E Gideão? Ele fez prova de Deus, e nem por isso o Senhor ficou aborrecido, mas honrou-o, todavia exigiu que ele destruísse o altar de Baal que estava na casa de seu pai, ele não vacilou, se encheu de coragem e em nome do Altíssimo procedeu conforme a determinação de Jeová, e vimos o que resultou, foi honrado sobremaneira e mais uma vez o povo é alcançado poderosamente pela graça  e proteção do Senhor Deus. Paulo foi outro instrumento nas mãos do Espírito Santo; corajoso e destemido ao extremo,  combateu o bom combate e findou a carreira o que lhe foi reservado a coroa da vida, porquanto guardou ele a fé. Ele foi um homem destemido e muito sofreu para realizar a obra missionária, razão maior de sua fé. O amor pelas almas perdidas lhe faziam ter sonhos e empreender um ritmo de evangelização que se expandiu por todo o mundo de sua época. Quando os anciãos quiseram retê-lo em Éfeso, mesmo após ter ouvido a profecia vaticinada por Ágabo, ele não temeu, audacioso como sempre, mesmo sabendo que lhe estava reservado o pior, não vacilou, foi para Jerusalém e apesar de açoites, prisões e perseguições, continuou pregando o Evangelho, ainda que sob ameaça de morte; manteve-se firme, consolou, curou e libertou os oprimidos de espírito, usando a autoridade do nome de Jesus Cristo que houvera lhe outorgado para fazer missões. Paulo, em nenhum momento, se bateu quando lhe disseram que iria morrer decapitado, mas, relembrou o que tinha dito antes: “Porém em nada considero a vida preciosa para mim mesmo, contanto que complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus para testemunhar o evangelho da graça de Deus” (At 20.24), ou seja, para fazer missões; e mais, continua ele,  “… considero-me morto para o pecado, mas vivo para Deus (Rm 6.11) e “… para mim o viver é Cristo…” (Fp 1.21). A Bíblia registra inúmeras ousadias que culminaram em grande vitórias. E você querido irmão tem sido corajoso, intrépido, e arrojado para realizar a obra de Deus? Para fazer missões nesses dias tão tenebrosos? Nesses últimos dias da Igreja aqui na terra é preciso que cada um se conscientize de que é importante ser destemido para ser um instrumento nas mãos do Espírito Santo e cumprir o IDE de Jesus. É preciso grande ousadia, e disposição para se fazer missões.