“Erasto ficou em Corinto, e deixei Trófimo doente em Mileto.” (2 Timóteo 4.20).

A doença é uma coisa que se alastrou no mundo após a queda de Adão e Eva. Quando eles estavam debaixo da “shequináh” de Deus no Jardim do Éden, não se falava de doença, mas depois que eles desobedeceram ao Senhor e foram expulsos do Jardim, então, começaram a passar por momentos difíceis relacionados à saúde. Jesus em seu ministério curou a muitos, mas também deixou de curar outros tantos, principalmente por causa da incredulidade e os piores eram os moradores de Cafarnaum. “Paciente respirando com dificuldades”. Essa foi uma frase que ouvi hoje sobre a saúde em nosso país. Segundo o autor, a saúde nunca esteve tão ruim de modo que ela mais parece um paciente respirando com dificuldades. Hoje, não há bem maior do que a saúde em nossas vidas. Lembro-me de um grande milionário, do ramo náutico, que dava metade de seus bens para que um médico o pudesse curar, porém, não apareceu nenhum e ele morreu. Paulo curou tantas pessoas durante o seu ministério, todavia, um dia ele saiu da casa de um grande amigo, um grande irmão e um grande discípulo, por nome Trófimo, que morava em Mileto e não o pode curar, mas o deixou doente em casa. Talvez você esteja me perguntando: por que uns são curados e outros não? O que eu posso dizer é que todas as coisas estão debaixo do controle e da autoridade de Deus. Se a enfermidade for para a glória do Senhor e estiver dentro da Sua permissão, então haverá, com certeza, a cura divina. É uma pena que a saúde de nosso país tenha atingido um índice tão ruim ao ponto de muitos já terem morrido por diversos fatores a ela relacionados. Não estou aqui para criticar, sei que nosso Governo está lutando para melhorar essa área tão complexa, porém, é hora de orarmos e pedirmos a Deus ajuda, para que as enfermidades não venham a se proliferar em nosso Brasil. Para que o Senhor que é o médico dos médicos possa dar condições aos profissionais da saúde para que eles possam ser usados para salvar muitas vidas. E que muitos brasileiros sejam vocacionados para a área médica.