“Assim, edificamos o muro, e todo o muro se cercou até sua metade; porque o coração do povo se inclinava a trabalhar” (Neemias 4.6)

O livro de Neemias é de uma profundeza extraordinária, nele encontramos ensinamentos para todas as classes de crentes, desde o novo convertido ao obreiro mais experiente. Nele aprendemos que precisamos unir forças para o trabalho na obra do Senhor. É muito gratificante para quem lidera ver que os seus liderados trabalham animosamente, com disposição e fazendo tudo como sendo para Deus. É salutar quando cada um se dá espontaneamente à obra: “E sucedeu que, ouvindo os nossos inimigos que já o sabíamos e que Deus tinha dissipado o conselho deles, todos voltamos ao muro, cada um a sua obra” (Ne 4.15). Quando a responsabilidade e a o amor pelas coisas de Deus é crescente, quase sempre as pessoas trabalham um pouco mais em prol do crescimento do Reino de Deus, foi assim que aconteceu nos dias de Neemias: “Assim trabalhávamos na obra e metade deles tinha as lanças desde a subida da alva até o sair das estrelas” (Ne 4.4.21). Essa é a primeira arma contra o inimigo nos dada por Deus, o trabalho. A segunda arma de poder que o crente possui chama-se oração. Sem oração não alcançamos vitórias, não avançamos com forma e ânimo em busca de objetivos espirituais. Sem orar não recebemos de Deus apoio e nem se quer orientação do Espírito Santo pra realizamos um trabalho grande para o Senhor. Neemias não somente trabalhava, mas levou o povo a buscar a Deus, a orar sempre: “Ouve, ó nosso Deus, que somos tão desprezados, e caia o seu opróbrio sobre a sua cabeça e faze com que sejam um despojo, numa terra de cative iro. E não cubras a sua iniquidade, e não se risque diante de ti o seu pecado, pois que te irritaram defronte dos edificadores” (Ne 4.4,5). E por fim, a terceira arma de poder é sem dúvida a vigilância. Quem trabalha com vontade e desejoso de cooperar com Deus, precisa ter uma vida de oração, mas também deve vigiar a todos os instantes, porquanto, o inimigo de nossas almas não desiste de investir contra os servos e servas do Senhor Jesus Cristo: “Porém nós oramos ao nosso Deus e pusemos uma guarda contra eles, de dia e de noite, por causa deles” (Ne 4.9). De dia e de noite é preciso vigiar. Quantos obreiros negligenciam nestes aspectos, ou seja, deixam de trabalhar para Deus, deixam de orar a Deus e não vigiam em seus atos diante do mundo, da igreja e de Deus. Use essas três armas e você será um vitorioso.