“Ora, em Jerusalém há, próximo à porta das ovelhas, um tanque, chamado em hebreu Betesda, {…}. Nestes jazia grande multidão de enfermos, cegos, mancos e ressicados, esperando o movimento da água. Porquanto {…}. E estava ali um homem que, havia trinta e oito anos, se achava enfermo. E Jesus, vendo este deitado, e sabendo que estava neste estado havia muito tempo, disse-lhe: Queres ficar são? (João 5.2-6).

Em várias circunstâncias e por alguns instantes parece que nos encontramos sozinhos, sem ser alvo de nenhum olhar, mas mergulhado numa profunda tristeza e desestimulado da jornada desta vida. Alguns há que esquecem até mesmo de seus problemas por alguns minutos, e até mesmo que estão enfermos e necessitados fisicamente e espiritualmente. O paralítico de Betesda talvez tenha sido esse homem, que se arrastava em pouca fé por trinta e oito anos à espera de alguém que o colocasse no tanque quando as águas fossem agitadas por um anjo conforme a lenda daquela época. É muito gratificante quando Deus nos acha primeiro e nos oferece a mão, o Seu amor e a Sua excelsa ajuda. É muito maravilhoso quando Ele, o Senhor e Salvador enxerga-nos no meio de uma multidão e nos diz: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.” (Mateus 11.28-30). Se Deus te enxergou no meio de uma grande multidão, então, valorize esse chamado e sirva-O de todo o seu coração, pois somente Ele é capaz de te dá a salvação.