O Senhor Proverá

“E Abrahão chamou o nome daquele lugar de ‘O Eterno verá’ {´Adonai Ir ‘ê’}, sobre o qual dirão futuramente: Neste Monte do Eterno (Deus) aparecerá (a seu povo)” (Gênesis (Bereshit) 22.14).

 

A Bíblia não procura de forma alguma demonstrar a existência de Deus, porque em toda Escritura Sagrada subentende-se sua real existência. Quando folheamos a Toráh (os cinco livros chamados de Pentateuco), ou mesmo os Profetas (Navy’im) ou os Escritos (Katuvim), parece não haver nenhuma passagem nestes livros que represente os homens procurando conhecer a existência de Deus através da natureza ou pelos eventos da providência, todavia, existem algumas passagens que implicam que as ideias falsas sobre a natureza de Deus podem ser corrigidas pelo estudo da natureza e da vida. No Antigo Testamento o homem chega ao conhecimento de Deus ou à comunhão com Ele por meio de seus próprios esforços. Deus fala, ele aparece, conversa com o homem, este o ouve e o vê pelas costas, de modo que essa relação é real e sentida pelos profetas, sacerdotes e todos quantos dEle se aproximaram. Quem procura se chegar a Deus deve fazer mediante a fé. A fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e das coisas que não se vêem. É preciso que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe e vive, bem como reina para todo o sempre. Quem é Deus e o que Ele é? Não foram poucos os seguimentos religiosos que tentaram responder, ao longo dos séculos esta pergunta, embora a Bíblia afirme que Deus falou a Jesus Cristo: “este é meu Filho amado…”, e inúmeras pessoas ouviram a sua voz. Deus é Espírito, infinito, eterno e imutável em sua essência, sabedoria, poder, santidade, justiça, bondade e verdade, capaz de ter dado o seu único Filho, Jesus Cristo para morrer por nós. Essa é uma definição plausível de Deus.Os nomes de Deus são a verdadeira riqueza e gozo inefável. Elohim, Jeová, El e Adonai são evidenciados em vários livros da Bíblia. O nome Jeová tem sua origem no verbo SER, abrangendo os três tempos desse verbo – passado, presente e futuro. O nome significa: Ele é o que era e o que há de ser, ou seja, o Eterno. Jeová é Deus que se revela a si mesmo ao homem, o nome significa: eu me manifestei, me manifesto e ainda me manifestarei, Oh glória! O Senhor Proverá (Jeová-Jireh) é uma das mais belas expressões de seu nome. Em toda Bíblia percebemos Deus exercendo a provisão para o ser criado. Quando este se afastou do seu caminho de santidade, e isso aconteceu com o primeiro casal, Adão e Eva, que ao desobedecerem às ordens do Eterno, fugiram e se esconderam, para em seguida confeccionarem roupas com folhas das árvores para cobrirem a nudez, Deus o “Jeová- Jireh” proveu não somente as novas vestimentas, imolando um cordeiro e fazendo-lhes vestes, mas dando ao homem a oportunidade de se consertar, pedir perdão e manter novamente a comunhão com o Eterno e maravilhoso Senhor. O cordeiro imolado lá no jardim do Éden, apontava para o sacrifício futuro de Jesus Cristo, “O Cordeiro de Deus”, que tira o pecado do mundo, que foi morto, trazendo salvação e paz a todos os homens que nEle crerem. Creia em Deus, pois Ele é o Jeová Jireh, o Deus que provê todas as coisas para a sua vida.

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook