“Os sinais do meu apostolado foram manifestados entre vós com toda a persistência (paciência, perseverança) por sinais, prodígios e maravilhas” (2 Coríntios 12.12).

Outro dia, alguém pregando disse: “Existe um atributo espiritual que Deus não tirou de Satanás – a persistência”. Isso é uma verdade! O inimigo número um dos cristãos não desiste nunca. Ele é persistente. Faz de tudo para derrotar os seguidores de Cristo. Por isso, o cristão deve vigiar e orar o tempo todo, pois com as coisas espirituais não se brinca. A persistência é a capacidade de lutar, mesmo que as adversidades sejam grandes, sem desistir. É a capacidade de lutar com garra, força e fé que o objetivo será alcançado. Contam-se muitas histórias de pessoas persistentes. A Bíblia dá vários exemplos. Um está registrado no segundo livro de Samuel, capítulo 30. Davi muito se angustiou ao ver, de longe, fumaça na cidade onde morava, Ziclague. Era uma cidade da herança de Judá e havia sido saqueada pelos amalequitas. Além de a saquearem, levaram as mulheres, as crianças, os animais e tocaram fogo nos acampamentos. Davi desistiu diante do cenário desastroso? Não. Ele consultou a Deus, e o Senhor o autorizou a perseguir os inimigos e trazer de volta as mulheres, as crianças, os animais e todo despojo. Os guerreiros de Davi estavam tremendamente cansados, pois vinham da guerra. Ao passar o ribeiro de Besor, somente quatrocentos homens se mostraram firmes na busca. Os outros duzentos ficaram para trás. Será que Davi pensou em desistir, já que perdera muitos soldados e os outros estavam cansados? Claro que não! Ele reuniu todas as forças possíveis e prosseguiu avante. Isso é persistência. Com ela, Davi marchou firme na fé para alcançar os amalequitas.  Josué, certa vez, contemplou o Jordão transbordando sobre todas as suas ribanceiras, todos os dias da sega (Js 3.15). Ele e todo o povo precisavam chegar ao outro lado do rio para tomar posse das terras que Deus prometera a Abraão, Isaque e Jacó. Você acha que Josué desanimou, retrocedeu diante do grande obstáculo e deixou de alcançar as bênçãos? Nada disso. Ele mandou o povo se santificar e creu nas promessas e ordenou aos sacerdotes levarem a arca do Senhor e marcharem rio adentro. Quando os pés deles tocaram as águas escuras do Jordão, “… pararam-se as águas que vinham de cima; levantaram-se num montão, mui longe da cidade de Adã, que está da banda de Sartã; e as que desciam ao mar das Campinas, que é o mar Salgado, faltavam de todo e separaram-se. Então, passou o povo defronte de Jericó” (Js 3.16). A atitude de Josué é chamada de persistência. Ainda que o rio fosse o grande problema e impossível de se atravessar com mulheres, crianças, anciãos e animais na ótica humana, a fé em ação e a persistência daquele líder levou o povo a glorificar a Deus pela passagem em seco pelo leito do rio Jordão. Persistência é isso, uma chave para a conquista de nossos sonhos.