Vento forte, mar agitado

“E navegando eles, adormeceu e sobreveio uma tempestade de vento no lago, e o barco encheu-se de água, estando eles em perigo” (Lucas 8.23).

Sei muito bem o que é um forte vento e um mar encapelado a açoitar uma embarcação em alto mar, pois naveguei por alguns mares que me fizeram tremer na base. Por cinco vezes naveguei por mares espelhados, que de uma hora para outra se transformaram em agitadas ondas de modo a causarem danos ao navio e encher o coração de muitos da tripulação, de um terrível medo. Duas vezes no mar Mediterrâneo, mais duas no mar do Caribe e outra no mar do Norte quando navegava para Londres. Sem contar os mares bravios no canal de Kiel e também em Abrolhos no Brasil. Foram momentos aflitivos os quais me roubou a paz, a alegria e o prazer de observar a natureza e os lindos golfinhos que cruzavam felizes a proa da embarcação. Vento forte, mar agitado pode acontecer também no contexto espiritual, pois ele sopra na alma e agita o coração e se a pessoa não tiver paciência acabará dando lugar a carne e tomando atitudes que não condizem com a nossa vida de cristão. Quando o vendaval é no interior do homem, então a situação não é tão fácil assim, pois dependemos da ação firme do Espírito Santo fazendo o homem interior acalmar-se e descansar na pessoa bendita do Senhor Jesus Cristo, porém, nesses momentos, dificilmente a pessoa dá lugar ao Salvador para realizar uma obra pacífica. Muitos perdem até mesmo a vida por não deixar Deus agir. Quando o navio se encontra no meio do maremoto, sendo açoitado por fortes ventos e ondas gigantescas, a melhor coisa é tentar tirar a embarcação do centro da tormenta e leva-la para águas menos agitadas, todavia não é uma manobra tão fácil e alguns meios flutuantes acabam naufragando. A tempestade na vida espiritual tem muita semelhança com o relatado em lide. A tribulação vivida pelos discípulos foi muito séria e quase foi a pique, só não naufragaram porque Jesus estava a bordo e repreendeu os ventos e o mar. Vale a pena levar Jesus sempre conosco por ocasião das travessias por esta vida. Os discípulos não imaginavam que tudo o que estava acontecendo era porque em Gadára, para onde eles iam havia dois homens necessitados de libertação. A tempestade de vento e o mar bravio não foram frutos das condições climáticas ou obra da própria natureza, mas foi algo promovido por Satanás, é tanto que Jesus repreendeu, tal como aconteceu nos dias de Jó, quando ele perdeu seus filhos e empregados. Essas tempestades quando surgem é preciso que Jesus esteja junto para repreende-las, porquanto são obras do maligno, do inferno para tirar a paz, extinguir a vida, trazer dissenções e separar famílias. Quando o homem é o centro do furacão, o alvo do vendaval espiritual, às vezes provocado por ele mesmo, então é inevitável algum tipo de pressão na alma que acaba deixando sequelas. Quando a fúria é provocada pelo nosso semelhante com a ajuda de Satanás, então, o Espírito Santo arvora sua bandeira e garante a nossa vitória. Vento forte, mar agitado não deve ser uma constante na vida do cristão. Quando essas lutas surgirem, procure descobrir as causas. Jesus sabia muito bem que o motivo daquele maremoto era porque havia uma obra muito grande para ser feita, e o Diabo estava furioso, batalhando para que Jesus e seus discípulos não chegassem do outro lado.

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook