“Esconde a tua face dos meus pecados, e apaga todas as minhas iniqüidades.
Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto.
Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito Santo.
Torna a dar-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário.” (Salmos 51.9-12)

Davi é esse homem sensacional que falei ontem, capaz de renascer das cinzas, do monturo, do lixo e da perdição. Davi é esse vaso que se quebrou e foi refeito, que foi lançado fora da presença de Deus devido as suas iniquidades e de repente é restaurado e lhe devolvido a alegria da salvação. Como é edificante aprender com Davi o caminho da vitória. Davi, aliás foi um autêntico vitorioso, ele só perdeu as batalhas para ele mesmo, porém, sobre essas ele soube administrar, pois quando tudo estava contra ele, de maneira humilde ele consegue dizer a Deus: “…Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto. Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito Santo. Torna a dar-me a alegria da tua salvação…”. Somente um homem temente a Deus e desejoso do céu é que tem essa capacidade de renascer das cinzas, do monturo e da escuridão. A história de Davi me fascina, pois ele foi tremendamente odiado por seus inimigos e por uma parcela significativa de Israel, mas mesmo diante de tanta luta e perseguição, ele soube triunfar, confiando em Deus e crendo que o Senhor iria fazer renascer do pó das cinzas. Davi sabia como convencer a Deus, ele sabia louvar e orar com o coração. O nobre monarca, não se entregava ao desespero espiritual, mas nas horas mais cruéis e difíceis de sua vida, ele reuniu forças e buscou a Deus, que imediatamente o fez renascer das cinzas, lhe dando novamente a alegria da Salvação e o Seu Espírito Santo.