“E muitos (multidão) o repreendiam, para que se calasse; mas ele clamava cada vez mais: Filho de Davi! tem misericórdia de mim”(Mc 10.48). “grifo do autor”

A multidão sempre foi motivo de preocupação por parte das lideranças evangélicas, pois ela não raciocina, não pensa, muito menos medita nas consequências de um fato, ou melhor, não tem identidade, é sem nome e desprovida de responsabilidades. Paulo escrevendo aos coríntios, nos diz que “… o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus” (2 Co 4.4). Onde estão os opositores, os que se levantam contra Cristo, sua obra e a noiva do Cordeiro? por ventura não estão entre a multidão? eles em sua maioria fazem parte da multidão que cegamente se levantam contra qualquer progresso, qualquer mudança que seja para o bem e saúde daqueles que amam a verdade. O mundo está no maligno (diz João em 1 João 5.19) logo, constitui-se num imenso perigo seguir ou viver segundo o curso desse mundo que é a multidão. A multidão não esperou o retorno de Moisés do Monte Sinai; ela também, não quis tomar posse da terra de Canaã prometida a Abraão e sua descendência. A multidão usa uma venda nos olhos, tem comichões nos ouvidos, de modo que não enxerga os planos de Deus e não consegue ouvir bem Palavra de Senhor para cumpri-la e obedecer. (continua)