“Não aceites acusação contra o presbítero, senão com duas ou três testemunhas.” (1 Timóteo 5.19).

Não são muitas as maneiras de se resolver os imbróglios que surgem no seio da igreja do Senhor Jesus Cristo, porém, existem alguns passos que o líder não poderá deixar de observar se quiser manter o rebanho sadio e firme na fé.  A Igreja de Cristo é formada por pessoas diversas, diferentes umas das outras, com pensamentos afinados com a Bíblia e outras com uma filosofia totalmente diferente e contrária ao que se acha preconizado na Palavra de Deus, todavia, é mediante o ensinamento da sã doutrina que todos irão atingir a estatura de varão perfeito. A Igreja do Senhor Jesus é formada também de pessoas simples que passam por um processo de restauração da alma e nessa busca incessante de um viver mais próximo do Espírito Santo, as pessoas vão se amalgamando em torno do ensinamento ministrado pelo líder e pastor da comunidade. Toda igreja para andar bem e observar de maneira satisfatória a imparcialidade deve rezar em seu Estatuto a fim de não haver nenhum prejuízo moral ou espiritual de seus membros, bem como seguir o que as Escrituras ordenam: Não se deve acusar ninguém sem provas e além do mais deve se ter duas ou três testemunhas; não se deve disciplinar sem primeiro apurar bem os fatos, todavia, faz necessário seguir a orientação de Paulo a Timóteo: “Aos que pecarem, repreende-os na presença de todos, para que também os outros tenham temor.” (1 Tm 5.20). Hoje, quase não se age assim, pois é conveniente preservar a pessoa e não constrangê-la diante dos outros, todavia, isso não quer dizer que esteja se usando de parcialidade. O importante é o líder ser imparcial, pois é bíblico: “Conjuro-te diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, e dos anjos eleitos, que sem prevenção guardes estas coisas, nada fazendo por parcialidade.” (1 Tm 5.21). Não se deve jogar fora alguém por quem o Senhor Jesus Cristo morreu e por ele se coloca diante do Pai como advogado e intercessor amoroso. Saiba usar bem as armas da restauração!