“Então, Sansão clamou ao Senhor e disse: Senhor Jeová, peço-te que te lembres de mim e esforça-me agora, só esta vez, ó Deus, para que de uma vez me vingue dos filisteus, pelos meus dois olhos.” (Juízes 16.28).

Uma realidade sobre oração é que Deus atende à súplica do justo (Salmos 141.2). O sábio Salomão confirma esta proposição dizendo: “Longe está o Senhor dos ímpios, mas escutará a oração dos justos.” (Pv 15.29). Sansão encontrava-se num estado lastimável. Além de prisioneiro, lhe amarraram duas cadeias de bronze e o abrigaram a moer no cárcere. No em que morreu o guerreiro hebreu, os filisteus deram uma grande festa e sacrificaram a seu deus Dagom em Gaza. Eles estavam reunidos e se divertiam vendo Sansão apalpando as coisas ao seu redor: “… chamai Sansão, para que brinque diante de nós, e brincou diante deles, e fizeram-no estar em pé entre as colunas.” (Jz 16.25). Sansão orou ao Senhor sem lhe pedir proteção, nem para que o mesmo lhe preservasse a vida. Seu único objetivo era a vingança, pois os filisteus arrancaram-lhe os seus olhos. A expressão: “… só esta vez…”, referindo-se a sua atuação como inimigo daquele povo, confirma muito bem o desejo do seu coração, ou seja, de quem não tem mais esperança de vida, mas quer vingança, vingança e mais vingança. A vida para Sansão provavelmente não tinha mais nenhum significado e nem sentido. Ele sabia que se Deus lhe desse força e provocasse o desmoronamento do templo, ele morreria também, mesmo assim orou ao Senhor Jeová por vingança. Sansão poderia ter feito uma oração diferente e ter pedido a Ele proteção e livramento, mas não o fez. Para Sansão seria mais uma luta contra os inimigos de Israel. A última luta de sua vida. A esperança é a âncora da alma, se ela se vai, então, se extingue também a fé e a alegria de viver. Não deixe sua esperança desvanecer, mais busque hoje mesmo uma renovação espiritual diante de Deus.