“Goteje a minha doutrina como a chuva, destile a minha palavra como o orvalho, como chuvisco sobre a erva e como gotas de água sobre a relva.” (Deuteronômio 32.2).

Fiquei temeroso no sábado último passado, quando me deslocava pelas estradas do DF e a chuva caiu com gosto, com vontade não respeitando ninguém. Ainda não tinha visto uma chuva tão forte como aquela. Que bom se a disposição de cada crente em Jesus Cristo, pela doutrina Bíblica, fosse como o gotejar em dia de chuva. Deus diz a todos nós: “Goteje a minha doutrina como a chuva, destile a minha palavra como o orvalho…”. É uma pena que o fastio pela doutrina, pelo ensino da Palavra tenha tomado o coração de muitos crentes. Poucos são os que se deleitam e comem com satisfação o alimento espiritual, a ração para a alma. As doutrinas bíblicas precisam ser mais ensinadas, discutidas e aplicadas na igreja, a fim de que o povo possa seguir num só rumo, numa só estrada e falar a mesma linguagem e interpretar a Bíblia com mais sabedoria e harmonia doutrinária. O salmista diz que as palavras do Senhor são puras (Sl 12.6). As palavras do Senhor também têm o poder de cura e pode tranquilamente restaurar o homem, dando-lhe condições de ser sadio, não somente fisicamente, mas muito mais na vida espiritual (Sl 107.20). Ela é lâmpada para os nossos pés e luz para o nosso caminho (Sl 119.105). Não podemos viver neste mundo sem observarmos a Palavra de Deus. Que a doutrina do Senhor goteje como a chuva dentro do seu coração. Que as palavras dEle promova edificação e salvação para a sua vida.