Em que posso te ajudar?

E Jesus, falando, disse-lhe: que queres que te faça? E o cego lhe disse: Mestre que eu tenha vista.” (Marcos 10.51).

 

É bem provável que está passagem no Evangelho de Marcos seja uma das mais pregadas pelos intrépidos mensageiros da última hora. Um texto que retrata a grande necessidade de um homem que não possuía a visão, que não enxergava o mundo como nós o enxergamos, o qual teve o grande privilégio de se encontrar com Jesus Cristo, a luz do mundo. Diferentemente do encontro de Saulo de Tarso, que não esperou Jesus lhe perguntar o que ele poderia fazer pelo reino de Deus, mas logo se adiantou e disse: “…Senhor, que queres que eu faça?…” (Atos 9.6). E a resposta veio do céu: “…Levanta-te, e entra na cidade, e lá te será dito o que te convém fazer.” (Atos 9.6). Na primeira passagem, em Marcos, um homem cego, filho de Timeu. Timeu tinha sido, segundo a história, um ex-combatente do exército de Israel. Agora, seu filho, conhecido somente como Bartimeu (no Aramaico filho de Timeu) clamava desesperadamente por misericórdia, no momento em que o Filho de Deus, Jesus Cristo, deixava Jericó. Ele era cego e segundo a história lhe furaram os olhos. Ele humildemente pediu ao Mestre para ter vista. A presença de Cristo lhe devolveu a visão. A segunda passagem em Atos dos apóstolos, Saulo enxergava muito bem, mas a presença do Senhor Jesus lhe tirou a visão, e ele foi conduzido à cidade de Damasco levado pelos outros companheiros, pois não enxergava nada. A lição que tirou destas duas passagens é que muitos estão obtendo de volta a visão quando se encontram verdadeiramente com Cristo. Deus lhe dá a visão do céu, a de vida eterna, a da evangelização, a visão de como está a sua própria vida, a de sua família, esposa e talvez filhos, a visão da igreja do Cordeiro na terra, e, também, a visão de onde você congrega, porquanto, todos ali precisam de você…, em fim, o homem não pode perder a visão celestial e nem ser negligente para com ela, pois através dela a nossa caminhada cristã seguirá sem tropeços e acidentes ministeriais. A passagem de Atos me convence de que preciso ser humilde, não posso vê como Jesus vê. Saulo precisava aprender a lição da visão e ele a aprendeu muito bem, pois ao longo de sua caminhada cristã, ele desenvolveu a visão da evangelização, a do amor pelas almas perdidas, a visão da implantação de igrejas e da expansão da doutrina que Cristo lhe incumbiu como apóstolo dos gentios. Na verdade não é Cristo que tem que perguntar em que posso te ajudar, mas cada um de nós é que devemos dizer: Senhor o que tu queres de mim, como posso ajudar para que a tua obra cresça na terra? – então, o Espírito Santo irá te responder com amor e tu sentirás paz em tua alma.

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook