“Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca” (Mateus 26.41).

Acordei sexta-feira preocupado, nunca havia visto tanta gente de Norte a Sul falando de algo que os evangélicos pregam diariamente, ou seja, o perigo quando a “carne é fraca”. Procurei me inteirar e se tratava de mais uma operação de rotina da PF em território Nacional, mas serviu para que pudesse refletir sobre o título: a carne fraca é um problema que afeta a vida espiritual.

O próprio Jesus Cristo é quem alerta aos discípulos e, também, a todos nós crentes em Jesus Cristo, para não deixarmos de vigiar, pois aquele que não redobra a vigilância e passa a viver na carne, não andando em espírito, acabará dando lugar ao pecado, ou seja, a carne se torna fraca (natureza adâmica), tem desejos e apetites desordenados, cai em tentação e consequentemente dá lugar a iniquidade.

Dando lugar a fraqueza em todas as áreas da vida, entristecerá a Deus. A Bíblica é bem clara: “Todas as almas são minhas, a alma que pecar está, morrerá”. E Paulo ainda complementa: “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida Eterna” (Romanos 6.23).

Carne fraca é sinônimo de miséria, de dificuldades e problemas de diversas naturezas. Quando José, filho de Jacó interpretou o sonho de Faraó, ele disse ao monarca egípcio: “E eis que outras sete vacas subiam após estas, muito feias à vista e magras de carne; não tenho visto outras tais, quanto à fealdade, em toda a terra do Egito.” (Gênesis 41.19). Vacas feias, magras, que morriam de fraqueza, a carne era totalmente fraca, muitas delas doentes, sem pastos e sem águas para sobreviverem.

O retrato de muitos hoje em dia é tal como a situação vivida pelos povos daquela época, exceto os egípcios que estavam sob as bênçãos do Deus de José. Eles trocavam os seus bens por comida. Só quem tinha em abundância o milho, o trigo e outros grãos era o Egito e José aproveitou para multiplicar a fazenda de Faraó, trocando trigo por bens materiais, e também terras, ouro, prata, etc.

Não podemos deixar que a nossa carne se torne fraca pelo pecado. Quando o homem a deixa enfraquecer, então com facilidade faz naufrágio na fé. Então, o que fazer numa situação dessa? É se aproximar de Deus, busca-lo em oração, firmar mais sua fé, lendo e meditando na Palavra do Senhor, além de se esforçar para cultuar a Cristo no templo.