Os dias são assim! #4

“Comiam, bebiam, casavam, e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio, e os consumiu a todos. “ (Lucas 17.27).

 

Os dias são assim, iguaizinhos aos dias vaticinados por Cristo: “Comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio…”. São assim os dias de hoje. “O que Deus uniu, não separe o homem”. Muitos casamentos não receberam a benção completa de Deus, ou seja, o Senhor não uniu os cônjuges, mas permitiu que eles se casassem, porquanto, era o desejo do casal, e a união durou poucos meses ou anos. Os dias são assim, não se pensa mais em quantos anos o casamento irá perdurar, mas em quantos meses ele irá terminar.

Os dias são assim, há muitos homens e mulheres que são verdadeiros colecionadores de cerimônias de casamento. Eles amam os banquetes, e tudo que se relaciona com o casamento, porém, não lutam por eles, porquanto, suas consciências não foram alcançadas pelo poder glorioso de Cristo e casam-se sem nunca terem nascido de novo. Vão para o altar apenas para cumprir um ritual, na verdade, são apenas crentes, que jamais tiveram uma experiência marcante com o Salvador Jesus Cristo.

Até hoje o dilúvio é um fantasma na vida de muitos casais. As pessoas se preocupam muito com o requinte do cerimonialismo e não vigiam quanto o dilúvio pós-nupcial. Os dias são assim, difíceis, tenebrosos, cheios de ciladas, de conquistadores e conquistadoras, que são “phd” em destruírem casamentos em crise. Eles são colecionadores desse tipo de destruição e não estão nem ai para os filhos, família e parentes, o prazer é quase hedonista, e só pensam neles mesmos. Os dias são assim! São como os dias de Noé.

É preciso aprender as lições contidas na Bíblia e procurar viver o que nela está escrito, tendo o máximo cuidado, ou seja, vigiar sempre, pois os dias são assim, traiçoeiros, e as pessoas se aproveitam da fragilidade das pessoas, fazendo-as se afastarem de Deus.

O verso em lide diz que eles foram consumidos pelas águas do dilúvio. Graças a Deus que não temos mais dilúvio, pois foi o próprio Deus que disse que jamais derramaria outro aguaceiro daqueles, porém, o fantasma do dilúvio ronda os lares, os cônjuges, as famílias bem estruturadas, e os ministros de Deus, a fim de destruir a beleza, a pureza, a santidade, levando a pessoa a se afastar de Deus, e consequentemente, destruir o casamento, a família e o ministério pastoral. Os dias são assim, não se trata de novela, mas uma realidade. Deus nos guarde!

Pr. Orcélio Amâncio

Pr. Orcélio Amâncio

José Orcélio de Almeida Amâncio é o atual pastor presidente da igreja Evangélica Assembleia de Deus, igreja do Novo Milênio, localizada no Núcleo Bandeirante, Brasília DF. O pastor Orcélio é formado em letras(português-hebraico) pela universidade Estadual do Rio de Janeiro, é Bacharel em teologia, realizou o curso na escola de preparação de obreiros evangélicos (EPOE), no Rio de Janeiro, onde foi coordenador do ensino por seis anos; também, possui o curso básico de teologia da FATAD, em Brasília, durante dez anos, lecionou ali a língua hebraica e variadas disciplinas teologicas. É pós-graduado em docência do ensino superior pela faculdade Albert Einstein (FALBE) de Brasília DF.

Comentários no Facebook