“Porque nisto é verdadeiro o ditado, que um é o que semeia, e o outro é o que ceifa” (João 4.37).

Ao ler esse versículo em lide, podemos tirar algumas lições para a nossa reflexão de hoje. João, o evangelista, usou essa expressão para deixar bem claro qual a finalidade do semeador e também do ceifeiro.

O semeador é o que semeia a semente e Jesus explica muito bem este papel na parábola do semeador registrada pelos evangelistas nas passagens: Mateus 13.1-23; Marcos 4.1-20; e Lucas 8.4-15.

João ao falar da última hora ele alerta a igreja de Cristo sobre a vinda do anticristo a este mundo: “Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora.” (1 João 2.18).

Aprendi também que existem duas figuras importantes no processo da evangelização: o semeador e o ceifeiro. O primeiro diz respeito à pessoa que espalha na terra a semente e o outro, o ceifeiro, aquele que faz a colheita na hora da sega.

Aliás, vale aqui uma pergunta: somos semeadores ou ceifeiros? Ou Ou somos semeadores e ceifeiros ao mesmo tempo? Ou simplesmente ceifeiros?

A parábola do semeador é uma das mais importantes parábolas de Jesus Cristo. Ele também chamou à atenção dos seus discípulos dizendo: “E disse-lhes: Não percebeis esta parábola? Como, pois, entendereis todas as parábolas? (Marcos 4.13).

Jesus está dizendo que esta parábola é fundamental para o entendimento das outras. Esta é uma das três únicas parábolas registradas em mais do que dois evangelhos, e, também é uma das únicas que Jesus explicou especificamente. Precisamos meditar cuidadosamente nesta história.

Qual o papel do semeador? Ele deve colocar a semente na terra, ou seja, segundo a parábola contada por Jesus, ele deve lançar a Palavra de Deus no mundo, na Seara que é imensa para tão poucos ceifeiros.

Tem muita gente que já tem a semente, mas como não tem ânimo para lançá-la no solo, na terra, no mundo chamado de Seara, então a semente fica no celeiro (em casa, na igreja, nos ambientes de encontros de grupos evangélicos, no setor de trabalho, na escola, na universidade, ou mesmo no seu próprio coração, sem dividir nada com ninguém, etc). Sementes armazenadas, jamais irão germinar, dar novas vidas, então, é hora de pregar, ensinar e fazer a obra que o Senhor mandou a Sua igreja realizar através do IDE.

O que observamos é muita Bíblia, muito conhecimento, muita tecnologia, muita diversidade de estratégia para se alcançar vidas, porém, não se consegue fazer nada, pois paira um desânimo, uma apatia, uma grande falta de amor pelas almas perdidas e isso vai fazendo com que a semente não seja espalhada pelos semeadores. Na minha visão: há sementes até demais; – O solo é o melhor possível, porém, poucas conversões, pois pouco se ceifa.

Jesus é semente. A Palavra é a semente. Jesus é a Palavra, e ela já foi espalhada no mundo, nos campos dessa seara tão extensa. Os campos já estão brancos para a ceifa e onde estão os ceifeiros? Precisamos despertar para o IDE de Cristo. Somos os ceifeiros da última hora, pense nisto!